Homepage

  • O peixe-espátula chinês deixou de existir no planeta Terra
    14 janeiro 2020
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O último destes peixes havia sido visto em 2003 e agora a espécie foi dada como extinta.
  • Ainda nem estão ultrapassados os primeiros 15 dias de 2020 e já é conhecida a primeira espécie extinta do ano.

    Trata-se do peixe-espátula chinês, considerado o 'rei das espécies de água doce' e no qual as suas origens remontam há 200 milhões de anos atrás, de acordo com a 'National Geographic'.

    Segundo os cientistas o motivo para este desaparecimento do animal pode estar relacionado com o aquecimento global. "É uma perda irreparável", afirmou o cientista Qiwei Wei, da Academia Chinesa das Ciências dos Peixes. 

    Também conhecido como Psephurus gladius, este podia atingir os sete metros de comprimento e habitava sobretudo nas margens do rio Yangtzé, na China. Segundo os investigadores a espécie ficou funcionalmente extinta em 1993, sendo que foi em 2003 que foi visto o últimos destes peixes.

     

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Extinção
  • Peixe
  • Ásia
  • China
  • Peixe-espátulo chinês
  • Mundo
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
março 30
Jogos Olímpicos de Tóquio'2020 já têm nova data
março 30
Camada de ozono acima da Antártida está a recuperar e já travou mudanças preocupantes
março 30
Erupção do vulcão Merapi lança cinzas a 5 mil metros de altura (Vídeo)
março 30
COI mantém qualificação de Tóquio’2020 para 2021
março 30
Clube de Surf de Faro lança Surf & Fitness em Casa
março 30
Empresários de Cascais lançam iniciativa que pode ajudar as escolas de surf
março 30
Municípios de Albufeira e Loulé condicionam acesso às praias