Homepage

  • Ritmo cardíaco da baleia-azul foi medido pela primeira vez
    29 novembro 2019
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Foram registados entre dois a 37 batimentos por minuto.
  • No início desta semana a revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América, 'Proceedings of the National Academy of Sciences' (PNAS), publicou um artigo científico sobre o ritmo cardíaco da baleia azul.

    Esta foi a primeira vez que os investigadores conseguiram fazer uma análise tão pormenorizada de tal aspecto do mamífero.

    Tudo foi conseguido após uma análise de nove horas e que foi realizada através de uma máquina de eletrocardiograma, com ventosas coladas ao corpo do animal. O aparelho estava envolto num material de plástico, que permitia que fosse colocado na baleia-azul de forma não invasiva. 

    De acordo com a análise feita, a baleia-azul reduz o seu ritmo cardíaco para apenas dois batimentos por minuto à medida que mergulha à procura de alimentos. Já o ritmo mais alto registado foi de 37 batimentos por minuto. Número verificado sempre que o mamífero mergulhava ou surgia à superfície. 

    "Primeiro, tivemos de encontrar uma baleia-azul, o que pode ser muito difícil porque a distribuição destes animais abrange vastas faixas de oceano aberto. Através da combinação de anos de experiência de campo e alguma sorte, conseguimos levar um pequeno bote até ao lado esquerdo de uma baleia”, conta Jeremy Goldbogen, um dos investigadores que liderou o estudo, à agência noticiosa Reuters.

    “Depois, colocámos o dispositivo utilizando um bastão de fibra de carbono com seis metros de comprimento. Quando a baleia veio à superfície para respirar, colocámos-lhe o dispositivo num sítio que pensamos ser próximo do coração: mesmo por baixo da barbatana esquerda", adiantou Jeremy. 

    A baleia-azul alvo de análise foi encontrada ao largo da californiana Baía de Monterey, nos Estados Unidos da América, e tinha cerca de 22 metros de comprimento. 

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Mar
  • Mundo
  • Califórnia
  • Estados Unidos da América
  • Baleia-azul
  • Estudo
  • Investigação
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Oceano
  • Baía de Monterey
  • Vida Animal
  • Vida
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
janeiro 20
Mick Fanning em documentário da Nat GEO sobre tubarões
janeiro 20
Tomás Lacerda faz história com triunfo em importante prova de SUP
janeiro 20
Santa Cruz terá uma praia dog friendly e já este verão
janeiro 20
Cadeira 'Turtle' da Buondi nomeada para prémio internacional
janeiro 20
Angels Surf School apresenta modalidade Performance Training
janeiro 20
Semana começa com vento até 110 quilómetros por hora
janeiro 17
Comunidade do longboard ajuda os animais vítimas dos fogos na Austrália