Homepage

  • Ritmo cardíaco da baleia-azul foi medido pela primeira vez
    29 novembro 2019
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Foram registados entre dois a 37 batimentos por minuto.
  • No início desta semana a revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América, 'Proceedings of the National Academy of Sciences' (PNAS), publicou um artigo científico sobre o ritmo cardíaco da baleia azul.

    Esta foi a primeira vez que os investigadores conseguiram fazer uma análise tão pormenorizada de tal aspecto do mamífero.

    Tudo foi conseguido após uma análise de nove horas e que foi realizada através de uma máquina de eletrocardiograma, com ventosas coladas ao corpo do animal. O aparelho estava envolto num material de plástico, que permitia que fosse colocado na baleia-azul de forma não invasiva. 

    De acordo com a análise feita, a baleia-azul reduz o seu ritmo cardíaco para apenas dois batimentos por minuto à medida que mergulha à procura de alimentos. Já o ritmo mais alto registado foi de 37 batimentos por minuto. Número verificado sempre que o mamífero mergulhava ou surgia à superfície. 

    "Primeiro, tivemos de encontrar uma baleia-azul, o que pode ser muito difícil porque a distribuição destes animais abrange vastas faixas de oceano aberto. Através da combinação de anos de experiência de campo e alguma sorte, conseguimos levar um pequeno bote até ao lado esquerdo de uma baleia”, conta Jeremy Goldbogen, um dos investigadores que liderou o estudo, à agência noticiosa Reuters.

    “Depois, colocámos o dispositivo utilizando um bastão de fibra de carbono com seis metros de comprimento. Quando a baleia veio à superfície para respirar, colocámos-lhe o dispositivo num sítio que pensamos ser próximo do coração: mesmo por baixo da barbatana esquerda", adiantou Jeremy. 

    A baleia-azul alvo de análise foi encontrada ao largo da californiana Baía de Monterey, nos Estados Unidos da América, e tinha cerca de 22 metros de comprimento. 

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Mar
  • Mundo
  • Califórnia
  • Estados Unidos da América
  • Baleia-azul
  • Estudo
  • Investigação
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Oceano
  • Baía de Monterey
  • Vida Animal
  • Vida
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
junho 02
'Verão no Parque' já chegou a mais 4 espaços do concelho de Cascais
junho 02
Caravanismo ilegal originou 92 autos de contraordenação na Costa Vicentina
junho 02
Stephanie Gilmore apostada em chegar ao oitavo título
junho 01
“Enfrentámos muitas dificuldades para o surf chegar aos Jogos”
junho 01
Prolongadas as licenças das escolas de surf emitidas pelo Porto de Leixões
junho 01
Polícia Marítima fiscalizou atividade das escolas de surf na Praia de Matosinhos
junho 01
Estrela das balizas recebe ensinamentos de surf de Carlos Muñoz
pub