Homepage

  • Ritmo cardíaco da baleia-azul foi medido pela primeira vez
    29 novembro 2019
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Foram registados entre dois a 37 batimentos por minuto.
  • No início desta semana a revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América, 'Proceedings of the National Academy of Sciences' (PNAS), publicou um artigo científico sobre o ritmo cardíaco da baleia azul.

    Esta foi a primeira vez que os investigadores conseguiram fazer uma análise tão pormenorizada de tal aspecto do mamífero.

    Tudo foi conseguido após uma análise de nove horas e que foi realizada através de uma máquina de eletrocardiograma, com ventosas coladas ao corpo do animal. O aparelho estava envolto num material de plástico, que permitia que fosse colocado na baleia-azul de forma não invasiva. 

    De acordo com a análise feita, a baleia-azul reduz o seu ritmo cardíaco para apenas dois batimentos por minuto à medida que mergulha à procura de alimentos. Já o ritmo mais alto registado foi de 37 batimentos por minuto. Número verificado sempre que o mamífero mergulhava ou surgia à superfície. 

    "Primeiro, tivemos de encontrar uma baleia-azul, o que pode ser muito difícil porque a distribuição destes animais abrange vastas faixas de oceano aberto. Através da combinação de anos de experiência de campo e alguma sorte, conseguimos levar um pequeno bote até ao lado esquerdo de uma baleia”, conta Jeremy Goldbogen, um dos investigadores que liderou o estudo, à agência noticiosa Reuters.

    “Depois, colocámos o dispositivo utilizando um bastão de fibra de carbono com seis metros de comprimento. Quando a baleia veio à superfície para respirar, colocámos-lhe o dispositivo num sítio que pensamos ser próximo do coração: mesmo por baixo da barbatana esquerda", adiantou Jeremy. 

    A baleia-azul alvo de análise foi encontrada ao largo da californiana Baía de Monterey, nos Estados Unidos da América, e tinha cerca de 22 metros de comprimento. 

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Mar
  • Mundo
  • Califórnia
  • Estados Unidos da América
  • Baleia-azul
  • Estudo
  • Investigação
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Oceano
  • Baía de Monterey
  • Vida Animal
  • Vida
  • Fotografia
    Facebook PNAS
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 19
Liga MEO Surf entrega prémios nos Portugal Surf Awards 2020
outubro 19
Japão abre novamente a porta ao despejo de água radioativa no Pacífico
outubro 19
IPMA eleva aviso: Lisboa e mais 4 distritos sob aviso vermelho na terça-feira devido à chuva forte
outubro 19
Chuva e vento forte vão deixar todo o continente sob aviso laranja
outubro 19
Pelo menos 19 baleias-piloto perderam a vida encalhadas na Nova Zelândia
outubro 19
Bernardo Jerónimo, o único português a competir no Frontón King, já está na 3ª ronda
outubro 19
Vasco Ribeiro: 'Este foi o ano em que provavelmente apresentei o meu melhor nível de surf'
pub