Homepage

  • A partir de hoje os sacos de plástico são pagos em Macau
    18 novembro 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Porém a ativista Annie Lao considera que tal medida não resolve o problema.
  • Em Macau o dia 5 de novembro de 2019 marca o momento em que os sacos de plástico passam a custar uma pataca, 10 cêntimos. 

    Apesar da medida tomada, há quem considere o valor em causa irrisório e que isso prejudica o objetivo da ação.

    "Não é nada em Macau e não vai resolver o problema. A maioria das pessoas não se importa de pagar esse valor. As pessoas vão acostumar-se a pagar uma pataca por saco de plástico cada vez que forem a lojas e supermercados no território", considerou a ativista Annie Lao, que promoveu em 2018 uma petição para a proibição dos sacos plásticos.

    “A principal razão para a taxa é que o público entenda o impacto ambiental negativo nos nossos oceanos e no meio ambiente em Macau e no mundo, que está a colocar um enorme custo para nós e para a geração futura, o que é simplesmente insustentável”, referiu.

    A primeira lei das restrições ao fornecimento de sacos de plástico apresenta duas exceções para esta taxa: os “produtos alimentares ou medicamentos não previamente embalados” e “produtos que estejam sujeitos a restrições relativas à segurança no transporte de bagagem de mão”.

    De acordo com o último relatório do estado do ambiente, Macau descartou 522.548 toneladas em resíduos sólidos urbanos no ano passado.

    Deste valor, 22,5% são plástico, tendo, no entanto, o Governo registado, em 2018, “uma diminuição na quantidade de plástico recolhido”. O mesmo relatório indicou que a quantidade de plástico recolhido, no ano passado, em 2018 foi de 250.194 quilogramas, menos 10,3% que o recolhido em 2017.

    “Nos últimos 10 anos, houve uma tendência global de subida na quantidade de resíduos sólidos urbanos descartados de Macau e na quantidade de resíduos sólidos urbanos descartados per capita, mas observou-se um abrandamento no aumento entre 2015 e 2018”, reconheceram as autoridades.

    Para o Governo, este aumento deveu-se sobretudo à “melhoria estável da economia de Macau, do aumento da capacidade de consumo dos residentes e do crescimento acelerado da quantidade de turistas”.

    No ano passado, Macau produziu 2,7 toneladas de lixo ‘per capita’, mais 0,5% que em 2017 e mais do que em locais como Singapura, Hong Kong e Pequim.

    “Se continuarmos assim, estamos apenas a criar um ambiente doente e insalubre em Macau para as pessoas que aqui moram. Portanto, as pessoas precisam de entender isto, com urgência, e precisam de começar a levar sacos reutilizáveis para carregarem as compras”, frisou a ativista.

    O ideal “seria proibir os sacos de plástico e adotar leis rígidas para que empresas e pessoas passem a usar materiais biodegradáveis naturais e que usem sacos reutilizáveis próprios”, disse Annie Lao.

    Em agosto, aquando da aprovação do diploma, o secretário para os Transportes e Obras Públicas reconheceu que a taxa sobre os sacos de plástico vem tarde. “É um passo de iniciação. Tarde, mas é um primeiro passo”, afirmou Raimundo do Rosário.

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Mundo
  • Meio Ambiente
  • Natureza
  • Macau
  • Sacos de Plástico
  • Plástico
  • Sustentabilidade
  • Ásia
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
janeiro 17
Comunidade do longboard ajuda os animais vítimas dos fogos na Austrália
janeiro 17
Agitação marítima arrasta duas pessoas na Califórnia (Vídeo)
janeiro 17
Nestlé investe 1,86 mil milhões de euros na reciclagem de plásticos
janeiro 17
Os jovens são fundamentais para a defesa dos oceanos
janeiro 10
Interferência no Canhão? João de Macedo e Everaldo Pato mostram o contrário
janeiro 16
Projeto da 'praia' ecológica no Tejo deverá ser conhecido este ano
janeiro 12
Lisboa terá uma 'praia' em pleno rio Tejo