Homepage

  • Caminhada histórica de João Sousa esbarra em Rafael Nadal
    08 julho 2019
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    MaisFutebol
  • Fonte
    Alexandre Melo
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Tenista de 30 anos tornou-se no primeiro português a chegar à segunda semana do icónico torneio de Wimbledon.
  • Pela primeira vez em toda a sua história o ténis português teve um representante nos oitavos de final do torneio de Wimbledon, um dos quatro Grand Slam do calendário do ténis mundial.

    O autor de toda esta maravilhosa gesta foi João Sousa, o mesmo que já havia sido o primeiro luso a jogar nos oitavos de final de outro Grand Slam, no caso o norte-americano US Open. Isto no ano passado, onde veio a perder para outro 'monstro consagrado', o sérvio Novak Djokovic.

    Derrotados pela excelência do ténis do vimaranense foram o britânico Paul Jubb, Marin Cilic (finalista vencido em 2017) e o também britânico Daniel Evans no passado sábado. Este último após um encontro histórico, com honras do Centre Court, e que foi apenas decidido no quinto e último set já com a noite a chegar e consequentemente o tecto removível e iluminação artificial montados na principal arena do All England Lawn Tennis and Croquet Club. O toque final a este épico confronto foi dado com as honras de transmissão televisiva da histórica BBC One.

    Hoje o tenista de 30 anos, nesta sua impressionante caminhada, tinha pela frente a hercúlea tarefa de defrontar, no mesmo court onde fez história no passado sábado, Rafael Nadal. O desfecho deste histórico embate ibérico acabou por ser o mais esperado com a vitória do maiorquino, que esteve num daqueles dias, sobre o embaixador da MEO por triplo 6-2 ao cabo de 1h46.

    "Não há muita coisa a dizer. O Rafa esteve muito bem, fez um encontro incrível e demonstrou o porquê de ser um dos melhores jogadores da atualidade e da história do ténis mundial. E hoje, esteve demolidor, aniquilou completamente as minhas armas e a estratégia que tinha delineado", disse o tenista que até mantém uma relação de alguma proximidade com o bicampeão de Wimbledon (2008 e 2010).

    Apesar da derrota, o orgulho no percurso feito manteve-se e não poderia ser de outra forma. "Estou muito contente por ter chegado novamente à quarta ronda de um Grand Slam, por ter voltado ao bom nível e por ter voltado a fazer história. É sempre bom colocar o nome de Portugal na história do ténis. É muito motivador para mim. Não sou muito dessas coisas, mas num torneio destes acredito que foi um bom feito e estou muito contente com a minha prestação em Wimbledon", concluiu o minhoto.

    Mais do que a derrota frente a um intratável Nadal, para a história fica toda uma caminhada de João Sousa, que já por si é digna de uma medalha.

    O tenista de 30 anos elevou mais uma vez bem alto o nome de Portugal no mundo do desporto. À semelhança de como por exemplo fazem outros jovens como Miguel Oliveira, no motociclismo, e Frederico Morais, no surf. Tudo disciplinas que em Portugal acabam por ter maior dificuldade na sua 'saída' em contraste com outras modalidades, saltando logo à cabeça o futebol, que muito sucesso também têm dado ao nosso país.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • João Sousa
  • Ténis
  • MEO
  • Wimbledon
  • Portugal
  • Desporto
  • Fotografia
    MaisFutebol
  • Fonte
    Alexandre Melo
pub
similar News
similar
março 27
Imagens espaciais mostram redução drástica da poluição do ar na Europa
março 27
Brisa Hennessy tem a melhor quarentena de todas… nas Fiji
março 27
Hora do Planeta terá formato digital para além do apagão
março 27
Foto do sunset português entre as melhores de concurso internacional  
março 27
Está a chegar o horário de Verão!
março 27
Capítulo Perfeito teve alcance superior a 33 milhões de pessoas
março 27
Em Ribeira d’Ilhas manda Tomás Fernandes