Homepage

  • Bajouca na luta contra o gás fóssil
    19 julho 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redacção
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Decorre o primeiro acampamento de acção climática em Portugal, que apela à justiça climática e posiciona-se contra a exploração de combustíveis fósseis.
  • O Camp-in-Gás decorre entre os dias 17 e 21 de Julho. Uma acção que faz da Bajouca, localidade do distrito de Leiria e onde está previsto um dos dois furos de gás no âmbito da concessão à empresa australiana Australis Oil & Gas, a linha da frente da luta contra a exploração de combustíveis fósseis.

    Ao segundo dia do Camp-in-Gás, a agenda foi marcada por debates e palestras sobre a dissonância entre o que dita a ciência e as políticas face à crise climática, a injustiça social e sua relação profunda com as alterações climáticas, a floresta perante estes desafios, o movimento antinuclear português, oficinas de compostagem, olaria, plantas terapêuticas e medicinais, carpintaria e escrita criativa.

    “É extremamente importante dar a conhecer as várias dimensões da luta pela justiça climática: o que nos diz a ciência, o porquê da urgência e de só termos 10 anos para mudar tudo nas nossas sociedades e a extrema injustiça social que a crise climática provoca. Isto porque os mais pobres e que menos responsabilidade têm na emissão de gases com efeito de estufa são os que mais sofrem, com secas, cheias, escassez de água e de alimentos, milhares de migrantes e populações sem meios para fazer face às catástrofes naturais. E também é importante dizer que existe um plano para, em Portugal, reduzir as emissões em 60 a 70% nos próximos dez a quinze anos. Trata-se da campanha 'Empregos para o Clima', basta que exista vontade política” aponta Luís Fazendeiro, do Climáximo, um dos colectivos organizadores.

    Em preparação da acção pacífica anunciada para o dia de amanhã no terreno concessionado à Australis para o furo de exploração de gás, precedida por uma manifestação pública de protesto contra a exploração de gás fóssil, houve lugar também para uma oficina de introdução à desobediência civil.

    No plenário de acção, os cerca de trezentos activistas foram recordados das lutas já ganhas desde 2015, quando existiam 15 contratos de exploração de combustíveis fósseis activos, e particularmente do percurso de luta intensa contra o furo de Aljezur, que acabou por ser cancelado em 2018. Com a convicção clara de que os dois contratos restantes serão igualmente cancelados, a acção do próximo sábado foi comunicada aos activistas, que já se começaram a alinhar estratégica e logisticamente.

    “Esta não é uma luta que possa ser ganha com petições ou actos simbólicos. É uma emergência e tem de ser tratada como tal. Se os governos não actuam em consonância com a gravidade e a urgência da situação, que nos coloca a todos em risco extremo, então a sociedade civil mobiliza-se e a desobediência civil torna-se, mais do que uma forma de luta, uma obrigação. É por isso mesmo que os movimentos se unem internacionalmente para fazer acontecer estas acções: na Península Ibérica temos o 2020 Rebelión por el Clima e a nível europeu o By 2020 We Rise Up, que são compromissos de escalada da mobilização.” enfatiza João Costa, um dos organizadores.

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Bajouca
  • Leiria
  • Portugal Continental
  • Gás Fóssil
  • Camp-In-Gás
  • Ecossistema
  • Natureza
  • Ambiente
  • Fonte
    Redacção
pub
similar News
similar
julho 10
Projeto TransforMAR está de regresso às praias nacionais e vai ajudar 15 IPSS
julho 10
Praia da Parede continua interdita a banhos
julho 10
Fluxo anormal de água atinge acesso da Praia de Carcavelos
julho 10
Novo fim de semana com muito calor a caminho
julho 10
Okahina, a quarta tecnologia de ondas que promete três piscinas em França
julho 09
Os banhos estão interditos na Praia da Parede
julho 10
Praia no Rio de Janeiro? Só depois de haver vacina para a Covid-19
pub