Homepage

  • Caravela portuguesa presente em toda a costa
    14 maio 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Um dos principais cuidados a ter é não tocar nos tentáculos, mesmo quando aparenta estar morta na praia.
  • O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) lançou esta terça-feira um alerta para a presença da caravela portuguesa, uma temida espécie marinha, em toda a costa portuguesa, ilhas incluídas. Na Praia Grande, em Sintra, um destes exemplares deu mesmo à costa.

    A caravela portuguesa é um organismo gelatinoso de nome científico ‘Physalia physalis’ e exige bastante cautela. Um dos principais cuidados a ter é não tocar nos tentáculos, mesmo quando aparenta estar morta na praia. Os seus tentáculos podem chegar aos 30 metros de comprimento e são muito urticantes, capazes de provocar graves queimaduras.

    Segundo o IPMA, influenciada por ventos e correntes de superfície, a caravela-portuguesa que apresenta um flutuador em forma de “balão” de cor azul e, por vezes, de tons lilás e rosa, é frequentemente avistada na costa portuguesa. Contudo, desta vez a presença poderá ocorrer em praticamente toda a costa.

    A deteção das caravelas-portuguesas foi feita através do programa de monitorização de organismos gelatinosos na costa continental portuguesa GelAvista, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera. Criado em 2016, o GelAvista tem vindo a envolver os cidadãos na ciência para a necessária recolha de informação sobre a ocorrência ou inexistência de organismos de aspeto gelatinoso na costa Portuguesa.

    Entretanto, esta segunda-feira, foi mesmo detetado e fotografado um exemplar desta espécie no areal da Praia Grande, em Sintra. O caso foi noticiado pelo portal “Sintranoticias”, já depois de ter sido comunicado à Polícia Marítima de Cascais.

    Já na passada sexta-feira, a Junta de Freguesia da Costa da Caparica, no concelho de Almada, fez um alerta para o aparecimento de águas-vivas e de caravelas-portuguesas nas suas praias, enquanto a autoridade marítima afirmou à Lusa que estava a acompanhar o fenómeno.

    O que fazer em caso de contacto?

    Em caso de contacto com os tentáculos de uma caravela-portuguesa, a zona afetada deve ser bem limpa com água do mar e devem ser retirados quaisquer pedaços de tentáculos que possam ter ficado presos na pele. Além destes cuidados pode ainda ser aplicado vinagre e bandas quentes além ser aconselhado a procurar assistência médica.

    Segundo uma nota do IPMA, qualquer ocorrência desta ou de outras espécies de organismos gelatinosos poderá ser comunicada ao programa GelAvista. A informação de cada avistamento (data, local, número de organismos e fotografia com objeto a servir de escala) deverá ser enviada para o email plancton@ipma.pt, ou através da aplicação GelAvista disponível na Play Store para sistemas Android.

    Na página de Facebook do GelAvista são frequentemente partilhadas as mais recentes ocorrências de organismos gelatinosos em Portugal, e no sítio gelavista.ipma.pt está também disponível informação sobre as espécies.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • caravela portuguesa
  • IPMA
  • Praia Grande
  • Portugal
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
agosto 16
Inscrições abertas para curso de Treinadores de Surfing Grau I
agosto 16
Fim de semana traz regresso da chuva ao Norte
agosto 15
Temperaturas elevadas deixam quatro distritos sob aviso amarelo
agosto 16
Elencos de luxo no Mundial ISA
agosto 16
'Surf No Crowd' promove surf 'longe das multidões e perto das melhores ondas'
agosto 07
Região de Coimbra lança projeto 'Surf No Crowd'
agosto 15
Frederico Morais lidera Seleção Nacional no Mundial ISA