Homepage

  • Área Protegida triplica no mar dos Açores
    04 março 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Açores quer afirmar-se como líder internacional na conservação dos oceanos e vida marinha.
  • Em três anos as áreas protegidas no mar dos Açores podem triplicar. A notícia foi avançada pelo jornal “Diário de Notícias” na passada sexta-feira, fazendo mesmo deste assunto tema de manchete da edição impressa. Os Açores querem 15 por cento do “seu” oceano salvaguardado pelo estatuto de área marinha protegida, naquilo que corresponderá a um total de 150 mil quilómetros quadrados.

    Este será o objetivo de uma parceria lançada hoje o Governo Regional dos Açores e duas fundações orientadas para o mar e a preservação da sua biodiversidade: a portuguesa Oceano Azul e a norte-americana Waitt. A meta é triplicar em três anos a dimensão das áreas marinhas protegidas (AMP) que hoje existem na Zona Económica Exclusiva (ZEE) dos Açores. 

    Este entendimento vai servir como um sinal dos Açores para o Mundo. O arquipélago português quer afirmar-se como líder internacional na conservação dos oceanos e vida marinha. “Queremos dar um sinal ao país e ao mundo de que é possível fazer mais para a proteção dos oceanos e para a sua gestão racional", afirmou o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores, Gui Menezes, ao DN.

    Nos primeiros três anos do projeto, correspondentes à primeira fase, serão as dias fundações a assegurar o compromisso de financiamento, com um toral de 1,5 milhões de euros, segundo revelou  Emanuel Gonçalves, administrador da Fundação Oceano Azul para a área da conservação, ao mesmo jornal.

    Após serem definidas as áreas a preservar e as leis que as vão regular, segue-se a segunda fase do projeto, a partir de 2021, com a implementação das novas áreas marinhas protegidas no terreno, ou seja, no oceano, com o acompanhamento de todo o processo e a avaliação dos resultados.

    A parceria é celebrada num momento em que a rede das áreas marinhas protegidas está em restruturação, como explica o secretário regional Gui Menezes. “Estamos a elaborar o plano de ordenamento do espaço marítimo, um trabalho técnico que estará concluído no final de 2019, e cujo objetivo é dar mais coerência à sua gestão”, frisou

    Com a interdição da pesca nessas zonas, as espécies mais fragilizadas pela sobre-exploração poderão começar a recuperar, repovoando em seguida os territórios adjacentes. Isso e uma gestão racional das pescas promoverão, por seu turno, um paradigma de sustentabilidade para os oceanos. Os Açores querem posicionar-se na liderança desse processo e a Fundação Oceano Azul quer ser um parceiro ativo na promoção dessa liderança.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Açores
  • Oceano
  • Oceano Azul
  • área protegida
  • espécies marinhas
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
setembro 20
Kanoa Igarashi, de vice-campeão mundial ISA à prata olímpica em casa
setembro 21
FPS lança a Semana do Surfing
setembro 21
Época balnear em Espinho prolongada até 26 de setembro
setembro 21
Save The Waves Film Fest Azores Tour chega ao Pico
setembro 20
Joana Schenker vai ajudar a limpar a Praia da Mareta
setembro 20
Finalíssima de Trestles foi o dia de competição mais visto de sempre em provas WSL
setembro 20
Inscrições reabertas para a etapa inaugural do Circuito de Surf do Ericeira Surf Clube