Homepage

  • Área Protegida triplica no mar dos Açores
    04 março 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Açores quer afirmar-se como líder internacional na conservação dos oceanos e vida marinha.
  • Em três anos as áreas protegidas no mar dos Açores podem triplicar. A notícia foi avançada pelo jornal “Diário de Notícias” na passada sexta-feira, fazendo mesmo deste assunto tema de manchete da edição impressa. Os Açores querem 15 por cento do “seu” oceano salvaguardado pelo estatuto de área marinha protegida, naquilo que corresponderá a um total de 150 mil quilómetros quadrados.

    Este será o objetivo de uma parceria lançada hoje o Governo Regional dos Açores e duas fundações orientadas para o mar e a preservação da sua biodiversidade: a portuguesa Oceano Azul e a norte-americana Waitt. A meta é triplicar em três anos a dimensão das áreas marinhas protegidas (AMP) que hoje existem na Zona Económica Exclusiva (ZEE) dos Açores. 

    Este entendimento vai servir como um sinal dos Açores para o Mundo. O arquipélago português quer afirmar-se como líder internacional na conservação dos oceanos e vida marinha. “Queremos dar um sinal ao país e ao mundo de que é possível fazer mais para a proteção dos oceanos e para a sua gestão racional", afirmou o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia dos Açores, Gui Menezes, ao DN.

    Nos primeiros três anos do projeto, correspondentes à primeira fase, serão as dias fundações a assegurar o compromisso de financiamento, com um toral de 1,5 milhões de euros, segundo revelou  Emanuel Gonçalves, administrador da Fundação Oceano Azul para a área da conservação, ao mesmo jornal.

    Após serem definidas as áreas a preservar e as leis que as vão regular, segue-se a segunda fase do projeto, a partir de 2021, com a implementação das novas áreas marinhas protegidas no terreno, ou seja, no oceano, com o acompanhamento de todo o processo e a avaliação dos resultados.

    A parceria é celebrada num momento em que a rede das áreas marinhas protegidas está em restruturação, como explica o secretário regional Gui Menezes. “Estamos a elaborar o plano de ordenamento do espaço marítimo, um trabalho técnico que estará concluído no final de 2019, e cujo objetivo é dar mais coerência à sua gestão”, frisou

    Com a interdição da pesca nessas zonas, as espécies mais fragilizadas pela sobre-exploração poderão começar a recuperar, repovoando em seguida os territórios adjacentes. Isso e uma gestão racional das pescas promoverão, por seu turno, um paradigma de sustentabilidade para os oceanos. Os Açores querem posicionar-se na liderança desse processo e a Fundação Oceano Azul quer ser um parceiro ativo na promoção dessa liderança.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Açores
  • Oceano
  • Oceano Azul
  • área protegida
  • espécies marinhas
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
fevereiro 19
Marta Paço convocada para o Mundial de Surf Adaptado
fevereiro 19
Júnior Martim Nunes passa temporada com Italo Ferreira (ENTREVISTA)
fevereiro 19
A subida do mar irá afetar 150 mil portugueses!
fevereiro 19
Vendedores de rua em Nairobi arriscam prisão por utilizarem sacos de plástico
fevereiro 19
Jovem é arrastado por onda e apanha grande susto na Praia do Norte
fevereiro 17
Alex Botelho já deixou os cuidados intensivos do Hospital de Leiria
fevereiro 19
Calor extremo cozeu e tirou a vida a meio milhão de mexilhões na Nova Zelândia