Homepage

  • Estudante de Coimbra cria projeto para limpar petróleo do mar
    26 fevereiro 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O estudante de doutoramento considera a sua descoberta como “promissora” por ser preparada através de “metodologias simples”.
  • É português e estuda em Coimbra. César Cavalcante Filho é o nome do aluno que está a ser reconhecido por um projeto inovador que visa criar um produto que consegue limpar o petróleo do mar, segundo noticia o “Jornal Económico”. Uma descoberta que poderá ajudar a recuperar ecossistemas marinhos danificados por poluição.

    Estudante de Química, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), César Filho explica que o projeto desenvolvido no âmbito do doutoramento que está a fazer, assenta no “desenvolvimento de um conjunto de géis com uma elevada capacidade de remediação de ambientes contaminados com petróleo”.

    Um projeto que, por exemplo, poderia fazer com que a crise petrolífera da BP em 2010 não tivesse causado a morte de tantos seres marinhos e aves. Além de ser inovadora, esta solução apresenta-se com um custo relativamente baixo, que permite recuperar ambientes que tenham sido contaminados com hidrocarbonetos, que estão presentes no petróleo.

    O investigador da FCTUC diz que optou por desenvolver um sistema polimérico em formato de gel porque estes conseguem ter um custo bastante reduzido, ainda que sejam criados com constituintes de origem natural e animal. César Filho utilizou no seu projeto uma substância designada quitosano, que pode ser encontrado nas carapaças de crustáceos como camarões, lagostas e caranguejos, e usou ainda pectina, uma fibra solúvel que pode ser extraída através de cascas de frutas cítricas, de maçãs e ainda através de batatas, tomates e beterrabas.

    O estudante de doutoramento considera a sua descoberta como “promissora” por ser preparada através de “metodologias simples”. Os géis foram criados pela primeira vez a quatro mãos, sendo que César Filho teve a ajuda e supervisão do professor Artur Valente, do departamento de Química da FCTUC.

    Os testes que foram realizados no laboratório da Faculdade de Coimbra, em amostras que imitam situações reais, revelam um futuro promissor, pois “apresentam uma elevada capacidade de remoção dos hidrocarbonetos do petróleo”. Embora os resultados sejam satisfatórios para os dois investigadores, o estudante admite que existe a necessidade de se realizar “mais estudos para que estes materiais possam ser utilizados em condições ambientais complexas”, como grandes catástrofes provocadas por erro humano, como a de 2010 no Golfo do México.

    Mas as boas notícias não se ficam por aqui. César Filho garante que este não é o único projeto que está a ser desenvolvido pelo grupo de investigação a que pertence. Apesar de já conseguirem apresentar resultados para a remoção deste tipo de poluição, estão a desenvolver os mesmo géis com um potencial para “remoção de outros poluentes, que não hidrocarbonetos aromáticos”, o que vai permitir desenvolver outras potenciais aplicações.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte: Jornal Económico

Tags
  • Petróleo
  • Estudante
  • Coimbra
  • Mar
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
abril 20
Inscrições disponíveis para curso de Treinadores de Surf Grau 1 em Aljezur
abril 20
Baleia sem vida de grande dimensão está encalhada na Praia de Santo António
abril 20
Liga MEO Surf: Heat draw definido para o Allianz Figueira Pro
abril 19
Allianz Ericeira Pro: Vencedores da Fantasy Surfer já receberam prémios
abril 16
Chuva dá tréguas no fim de semana
abril 16
Estrada é encerrada em Tallinn durante a noite para salvar milhares de sapos e rãs
abril 16
Praia da Tocha vai ter novos passadiços no verão