Homepage

  • Carnaval 2019 vai ser mais amigo do ambiente
    28 fevereiro 2019
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Os copos reutilizáveis, por exemplo, são uma medida utilizada já em algumas cidades. Mas há mais novidades em 2019.
  • A sustentabilidade está na ordem do dia e no Carnaval isso não foge à regra. Um pouco por todo o país, as organizações dos corsos carnavalescos estão a adotar cada vez mais medidas em prol do ambiente, com o plástico a estar cada vez mais arredado da festa. Confetis de papel e purpurinas biodegradáveis são algumas das opções alternativas que vão ser vistas por todo o país, segundo noticia o “Diário de Notícias”.

    Carmen Lima, coordenadora do Centro de Informação de Resíduos da Quercus, afirmou ao DN que “esta é uma altura do ano em que há um pico de consumo. Há a aquisição de novos fatos, muitas vezes com preços competitivos, feitos em fibras sintéticas, geralmente em países onde não há controlo de aspetos ambientais”. Dessa forma, tornar o Carnaval sustentável não está só nas mãos das organizações, mas também dos foliões.

    Os copos reutilizáveis, por exemplo, são uma medida utilizada já em algumas cidades. Ainda assim, numa época de consumo elevado, torna-se imprescindível que as autarquias que organizam este tipo de festas tenham uma maior conscientização ambiental e sustentável. “Há o risco de contaminação do ambiente com produtos que não são biodegradáveis”. Esse é o caso dos confetis de plástico ou mesmo das purpurinas, por exemplo.

    “É possível fazer confetis com as folhas das árvores que se apanham no chão, usando furadores. Desta forma, não têm um impacto negativo se forem libertados na rua. E não se gasta um recurso”, frisa Carmen Lima, apontando depois outra solução para as purpurinas: “Deviam ser removidas com um material que as agarre e não através da lavagem. Quando a pessoa vai tomar banho, acabam por ir diretamente para o mar”.

    Contudo, segundo o DN já há empresas que apresentam alternativas sustentáveis para esta problemática. Várias empresas têm vindo a desenvolver purpurinas e glitter biodegradáveis. No Brasil, por exemplo, as marcas Viva Purpurina Biodegradável e a Glitter Ecológico estão a comercializar produtos que garantem não ser tóxicos, ou seja, que não prejudicam os ecossistemas.

    Um dos maiores Carnavais do país é o de Torres Vedras e a autarquia local mostra-se consciente para com isto. A Câmara Municipal emitiu um comunicado onde garante que irá manter o EcoCopo (copo reutilizável), um a medida já adotada em anos anteriores. Além disso, vai proibir a entrada e transação de garrafas de vidro e de plástico no evento.

    Em Loulé, no Algarve, a organização do Carnaval informou que “uma das novidades passa pela utilização de copos de papel 100% biodegradáveis, reutilizáveis até quatro ou cinco vezes e compostáveis, que serão distribuídos pelos bares existentes no recinto”. Já em Ovar, a autarquia anunciou que vai impor aos bares o uso de copos recicláveis, com um custo associado, o que permitirá reduzir a circulação desses recipientes em mais de 60%.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Carnaval
  • Plástico
  • Poluição
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
março 31
Campeão mundial espanhol de surf adaptado está infetado com coronavírus
março 31
Kelly Slater mostra dotes musicais em composição própria (Vídeo)
março 31
Em quarentena, campeã olímpica treina em piscina insuflável (Vídeo)
março 31
Escola de Surf da Figueira contorna quarentena com aulas online
março 30
Erupção do vulcão Merapi lança cinzas a 5 mil metros de altura
março 31
ISA World Surfing Games adiados por tempo indeterminado
março 31
Multas para surfistas chegaram a J-Bay