Homepage

  • SOS SADO volta a pedir suspensão imediata das dragagens
    30 novembro 2018
    arrow
    arrow
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Face ao iminente arranque dos trabalhos o movimento apresentou novo requerimento no Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada a reiterar a urgência da suspensão.
  • O Movimento de Cidadãos SOS Sado, no âmbito da providência cautelar já intentada, apresentou novo requerimento a pedir ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada para ser decretada a suspensão imediata da Empreitada de Melhoria da Acessibilidade Marítima ao Porto de Setúbal, depois de a APSS ter anunciado a previsão do arranque dos trabalhos para breve.

    Segundo comunicado da organização, aquele organismo não é claro quanto a esta questão, mas foi avançando recentemente que “os trabalhos preparatórios da montagem do estaleiro já estão a decorrer”.

    No contrato com a Mota-Engil, assinado em julho, está descrito que o início da empreitada acontecerá a 1/10/2018, mas no último despacho do TAF de Almada é referido que os trabalhos de dragagem irão começar em 8/01/2019. No entanto, em resposta a questões publicadas na página de Facebook da APSS e em algumas peças recentes na comunicação social é veiculado que as obras irão começar já no início de dezembro.

    Face a essa atitude flagrante, o movimento SOS Sado volta a reiterar a urgência da suspensão.

    De salientar que a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, Agência Portuguesa do Ambiente e o Ministério do Ambiente, réus no processo interposto, não terão até ao momento apresentado argumentos que comprovem que as nove zonas protegidas não vão ser afetadas com a dragagem de 6 337 647,00 m3 de lamas e areias no Estuário do Sado e subsequentes dragagens de manutenção anual do canal intervencionado.

    Nesse mesmo pedido ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada, foi solicitado que seja apresentado o relatório económico que, alegadamente, tem servido para fundamentar as decisões que têm vindo a tomar.

    O Movimento de Cidadãos SOS Sado continua empenhado nesta luta pela sobrevivência do ecossistema do estuário do Sado e a qualidade de vida dos setubalenses, contando com o apoio e a força de todos para vencer as ainda muitas batalhas a travar.

    Recorde-se que, recentemente, o SOS Sado esteve reunido com o norte-americano Peter Neill, Fundador e Director do World Ocean Observatory (Observatório Mundial dos Oceanos) para analisar este tema.

    O alerta foi feito devido ao risco destas obras porem em causa o ecossistema único do estuário do Sado com as dragagens para alargamento e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Setúbal, para permitir a circulação de navios de maior calado. Prevê-se o deslocamento de 6 500 000 de metros cúbicos de areia do leito do rio, colocando a Reserva Natural do Estuário do Sado e toda a sua fauna e flora em perigo.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Foto: https://caminhando.pt

Tags
  • SOS SADO
  • setubal
  • Rio Sado
  • golfinho
  • Ambiente
  • Sustentabilidade
pub
similar News
similar
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 21
Salvamentos aumentaram nas praias portuguesas na época balnear de 2020
outubro 21
Primeira ondulação grande da temporada deverá entrar na Nazaré a partir de domingo
outubro 21
Circuito Regional da Madeira SUP Race arrancou em grande estilo
outubro 21
Bodyboard: Título nacional feminino vai decidir-se na Póvoa de Varzim
outubro 19
Bernardo Jerónimo, o único português a competir no Frontón King, já está na 3ª ronda
outubro 20
Depressão Bárbara: Aviso vermelho alargado a mais 3 distritos do continente
pub