Homepage

  • SOS SADO volta a pedir suspensão imediata das dragagens
    30 novembro 2018
    arrow
    arrow
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Face ao iminente arranque dos trabalhos o movimento apresentou novo requerimento no Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada a reiterar a urgência da suspensão.
  • O Movimento de Cidadãos SOS Sado, no âmbito da providência cautelar já intentada, apresentou novo requerimento a pedir ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada para ser decretada a suspensão imediata da Empreitada de Melhoria da Acessibilidade Marítima ao Porto de Setúbal, depois de a APSS ter anunciado a previsão do arranque dos trabalhos para breve.

    Segundo comunicado da organização, aquele organismo não é claro quanto a esta questão, mas foi avançando recentemente que “os trabalhos preparatórios da montagem do estaleiro já estão a decorrer”.

    No contrato com a Mota-Engil, assinado em julho, está descrito que o início da empreitada acontecerá a 1/10/2018, mas no último despacho do TAF de Almada é referido que os trabalhos de dragagem irão começar em 8/01/2019. No entanto, em resposta a questões publicadas na página de Facebook da APSS e em algumas peças recentes na comunicação social é veiculado que as obras irão começar já no início de dezembro.

    Face a essa atitude flagrante, o movimento SOS Sado volta a reiterar a urgência da suspensão.

    De salientar que a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA, Agência Portuguesa do Ambiente e o Ministério do Ambiente, réus no processo interposto, não terão até ao momento apresentado argumentos que comprovem que as nove zonas protegidas não vão ser afetadas com a dragagem de 6 337 647,00 m3 de lamas e areias no Estuário do Sado e subsequentes dragagens de manutenção anual do canal intervencionado.

    Nesse mesmo pedido ao Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada, foi solicitado que seja apresentado o relatório económico que, alegadamente, tem servido para fundamentar as decisões que têm vindo a tomar.

    O Movimento de Cidadãos SOS Sado continua empenhado nesta luta pela sobrevivência do ecossistema do estuário do Sado e a qualidade de vida dos setubalenses, contando com o apoio e a força de todos para vencer as ainda muitas batalhas a travar.

    Recorde-se que, recentemente, o SOS Sado esteve reunido com o norte-americano Peter Neill, Fundador e Director do World Ocean Observatory (Observatório Mundial dos Oceanos) para analisar este tema.

    O alerta foi feito devido ao risco destas obras porem em causa o ecossistema único do estuário do Sado com as dragagens para alargamento e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Setúbal, para permitir a circulação de navios de maior calado. Prevê-se o deslocamento de 6 500 000 de metros cúbicos de areia do leito do rio, colocando a Reserva Natural do Estuário do Sado e toda a sua fauna e flora em perigo.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Foto: https://caminhando.pt

Tags
  • SOS SADO
  • setubal
  • Rio Sado
  • golfinho
  • Ambiente
  • Sustentabilidade
similar News
similar
janeiro 17
Faleceu o lendário shaper havaiano Ben Aipa
janeiro 17
Interdito o acesso ao paredão de Cascais
janeiro 17
Massive Saturday! Jaws recebeu sessão do ano (e talvez da história!)
janeiro 15
Confinamento: AESDP esclarece posição tomada sobre atividade das escolas de surf
janeiro 15
Jaws prepara-se para receber maior ondulação dos últimos anos
janeiro 15
Confinamento: Escolas de surf proibidas de exercer atividade
janeiro 15
'Twiggy' Baker: 'A onda de Mavericks deu-me uma bofetada e mostrou quem manda'