Homepage

  • Maior central eólica flutuante será em Portugal
    30 outubro 2018
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Projeto inovador terá um financiamento do Banco Europeu de Investimento de cerca de 60 milhões.
  • O projeto chama-se Windfloat e é baseado num parque eólico offshore em que as turbinas eólicas são colocada numa plataforma flutuante ancoradas ao fundo do mar. Esta será a primeira central de energia eólica flutuante a nível mundial e ficará a 20 km da costa de Viana do Castelo.

    A empresa responsável por este projeto é a Windplus, uma companhia subsidiária da EDP Renováveis, Repsol e Príncipe Power, e terá um financiamento do Banco Europeu de Investimento de cerca de 60 milhões. A segunda fase do projeto chamar-se-á Windfloat Atlantic, terá duração de três anos e o investimento ao todo será de 125 milhões de euros.

    “Estamos aqui hoje para celebrar o financiamento do maior projeto a nível mundial de aproveitamento de energia eólica no mar. Um projeto de 125 milhões que têm um apoio muito significativo da Comissão Europeia, do BEI e também do governo português”, afirmou António Mexia, presidente da EDP, em meados de outubro, aquando da apresentação do projeto.

    Já João Manso Neto, presidente da EDP Renováveis, que é responsável pela construção do parque eólico flutuante, frisou que este projeto é um trampolim para o futuro. A estimativa é que o parque eólico flutuante esteja a funcionar até o final de 2019, depois das expectativas iniciais de que estivesse em funcionamento já no verão do próximo ano.

    O parque eólico de Portugal terá capacidade para produzir eletricidade suficiente para 60 mil pessoas, com uma capacidade de 25 MW transmitidas por três turbinas eólicas com capacidade de 8,4 MW cada, colocadas em plataformas flutuantes, ancoradas no fundo do mar a uma profundidade de 100 metros. 

    Por fim, João Pedro Matos Fernandes, o ministro do Ambiente que agora assumiu também a pasta da Transição Energética, sublinhou que a aposta financeira em tecnologias inovadoras que permitem cumprir as metas climáticas “não são rendas excessivas”.

    Esta é mais uma boa notícia para a nossa costa, depois de ontem ter sido confirmada a desistência da Galp e da Eni na exploração petrolífera ao largo da costa algarvia e vicentina. 

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Energia eólica flutuante
  • EDP
  • Portugal
  • viana do castelo
  • Windfloat
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
dezembro 02
Avistadas caravelas-portuguesas em diversas praias do continente e nos Açores
dezembro 02
Seleção Nacional de Surf Adaptado já partiu rumo ao Mundial de Pismo Beach
dezembro 02
Matosinhos Surf School Cup segue para a Praia de Matosinhos
dezembro 02
Está de volta o Circuito de Bodyboard da Ericeira!
dezembro 01
The Eddie Aikau Invitational está de regresso já este inverno!!!
novembro 29
Surf português chora perda de 'Dapin'
novembro 29
Dapin homenageado quarta-feira em Carcavelos