Homepage

  • Não há registos de um Setembro tão quente
    02 outubro 2018
    arrow
    arrow
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Segundo os mesmos dados, as temperaturas médias de setembro de 2018 estiveram quase sempre acima dos valores médios de 1971 a 2000.
  • Calor, calor e mais calor. Depois de um verão com início tardio, o calor ficou guardado para final. A prova disso é que, segundo dados provisórios do IPMA (Instituto Português do Mar e Atmosfera), o ano de 2018 contou com o mês de setembro mais quente “desde que há registos”. É, mesmo, muito provável que nunca tenha havido um setembro tão quente…

    Para o IPMA, setembro foi um mês “extremamente quente e seco”. Com recurso aos dados até dia 27 do passado mês, o instituto prevê que este será, “muito provavelmente”, o setembro mais quente desde que há registos, com uma temperatura média de 23,1ºC. Deste universo que vai até 1931, o setembro de 1985 é o segundo mais quente, com uma média de 22,89ºC.

    “À partida deverá ser [o setembro mais quente] porque a diferença para o que vem a seguir, que foi em 1985, ainda é razoável”, explicou Vanda Pires, meteorologista da divisão de clima e alterações climáticas do IPMA, sobre os dados fornecidos ao PÚBLICO a 28 de setembro. A especialista em clima só não é taxativa na afirmação porque aquando da mesma ainda faltavam dois dias para o final do mês, sendo que as temperaturas máximas acabaram por rondar os 30 graus em grande parte do continente.

    Segundo os mesmos dados, as temperaturas médias de setembro de 2018 estiveram quase sempre acima dos valores médios de 1971 a 2000 (a partir dos quais o IPMA avalia o quão distante um determinado período está daquilo que se considera ser normal). O mês que passou, entre 1 e 27 de Setembro, “caracterizou-se por valores médios da temperatura do ar muito altos e muito superiores aos respetivos valores normais”. 

    Especial destaque por parte do IPMA merece a “anomalia” da temperatura máxima: 4ºC acima do que é considerado normal. Os valores da temperatura média foram 2,8ºC superiores ao esperado para esta altura do ano e a mínima ficou 1,6ºC acima. O primeiro dia do mês de Setembro foi o mais quente. A temperatura máxima chegou aos 36ºC, a média aos 27,2ºC e a mínima aos 18,3ºC. 

    Durante o último mês, o IPMA registou duas ondas de calor — pelo menos seis dias consecutivos com uma temperatura máxima diária superior a 5ºC ao valor médio do período de referência. Uma, que foi de 10 a 17 de setembro, e afetou as regiões de Trás-os-Montes, Viseu e Santarém, e outra, de 19 a 27, que só não abrangeu as regiões costeiras acima do Cabo da Roca e Algarve e o Nordeste Transmontano.

    Em relação à precipitação, foi um mês “extremamente seco”. A 27 de setembro, “verificou-se um aumento da área em seca meteorológica em todo o território” — 91.6% estava em seca fraca e 6,8% em seca moderada.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, e encontra tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte: Público

     

Tags
  • Setembro
  • ipma
  • calor
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
outubro 25
Rodrigo Carrajola e Jaime Bonito renovam os títulos nacionais de bodysurf
outubro 26
Nacional de Bodyboard: Miguel Adão fecha época com estreia a vencer na categoria Open
outubro 26
Princesa da Noruega sagra-se campeã nacional júnior de surf
outubro 23
A hora vai mudar: relógios atrasam 60 minutos na madrugada de domingo
outubro 24
Do susto ao título: Joana Schenker é heptacampeã nacional de bodyboard
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 24
Guincho recebe etapa única do Nacional de Bodysurf
pub