Homepage

  • A Federação Portuguesa de Surf, a SOS – SALVEM O SURF, Tiago Pires 'Saca', João de Macedo 'Massas' e milhares de cidadãos unem as vozes para dizer NÃO ao petróleo em Portugal
  • Marcha pelo Clima – Rise for Climate surge na defesa da suspensão com efeito imediato de todos os contratos de concessão para combustíveis fósseis, em Portugal, e de uma transição total para as energias renováveis.

    No próximo dia 8 de setembro, sábado, às 15h30, são várias as entidades que marcam presença na Marcha Mundial do Clima, entre elas a ONGA SOS - Salvem O Surf, no âmbito da mobilização internacional Rise for Climate, que unirá centenas de cidades por todo o mundo.

    O planeta está numa trajetória que o deixará irremediavelmente mudado. Os fenómenos de maior impacto são do conhecimento geral – reconfiguração do ciclo da água, das temperaturas, disponibilidade de água potável, subida do nível das águas do mar, secas e inundações, perda de habitats, doenças, deslocações em massa, perdas de biodiversidade, de produtividade, entre outros. Já a sua dimensão, gravidade e impacto são inimagináveis

    Os efeitos já se sentem, mais rápidos, surpreendentes e intensos vieram para ficar. A probabilidade de um efeito-dominó ganha consistência para o curto prazo. NÃO PODEMOS IGNORAR.

    Um fator-chave na modelação dos impactos das alterações climáticas passa por uma transformação socioeconómica profunda e fundamental no âmbito energético. O objetivo político, institucional e internacional de prosseguir para uma sociedade zero-carbono até meados deste século, a começar já, obriga à descarbonização intensa e extensa das atividades económicas, sociais, individuais e culturais, requer uma visão global partilhada, fortes compromissos nacionais e territoriais, e a cooperação transnacional no âmbito tecnológico.

    Tudo o que fazemos, literalmente tudo, o que fazemos tem repercussões no planeta, no espaço em que vivemos.

    A indústria do petróleo e do gás de xisto em Portugal não vai reduzir os custos da energia, nem reduzir a nossa dependência do petróleo estrangeiro, nem criar milhares de novos empregos. Já o mesmo não é verdade para o investimento em energias renováveis. Uma estratégia orientada para fontes alternativas de energia reduz a dependência do país e reforça e diversifica a nossa oferta energética, contribuindo para um sistema mais comprometido com o futuro.

    Se o mar é destruído, todos nós somos destruídos! Se o mar e a praia são arruinados, tudo o que direta e indiretamente deles depende é arruinado. NÃO AOS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EM PORTUGAL!

    A transição para 100% de energias renováveis tem de acontecer mais depressa e a uma escala maior. É isto que se pede, é isto que se exige. é isto que se quer! Esta transição é essencial e é por ela que todos se devem envolver ativamente na proteção do nosso CLIMA, do nosso MAR e do nosso TERRITÓRIO.

    Lisboa: Cais do Sodré às 15h30 (Participação de Fernando Nobre Aka Silk (cantor e actor) + mob do Mar + Manifestação às 17h); 

    Porto: Praça da Liberdade às 17h00;

    Faro: Largo da Sé às 17h00.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Federação Portuguesa de Surf
  • tiago pires
  • Saca
  • joao de macedo
  • surf
  • SOS - Salvem o Surf
  • Portugal
  • Petroleo
  • nao ao furo
  • turismo de portugal
  • cais de sodre
  • marcha pelo clima
pub
similar News
similar
novembro 30
Cientistas querem estudar profundezas dos oceanos durante uma década
novembro 30
Vai nascer em Espanha a maior praia artificial da Europa
novembro 30
Portugal é o país da União Europeia mais perto de atingir as metas climáticas para 2030
novembro 30
Windsurf: Oficializado o recorde mundial do Guinness da maior onda surfada por uma mulher
novembro 30
Cabo Verde bate recorde de ninhos de tartarugas registados num ano
novembro 30
Luz verde ao processo de 6 jovens portugueses contra 33 países por causa das alterações climáticas
novembro 27
Cordão dunar entre as praias de Quiaios e Murtinheira vai ser reforçado
pub