Homepage

  • TAD determina ilegalidade do Mundial de SUP em Portugal
    01 agosto 2018
    arrow
    arrow
  • FPS é a única federação nacional com competência para organizar e homologar provas de SUP em Portugal
  • O Tribunal Arbitral do Desporto decretou, a pedido da Federação Portuguesa de Surf (FPS), providência cautelar contra Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), intimando-a a abster-se de organizar, de colaborar ou dar apoio, ao 2018 ICF Stand Up Paddling World Championship, campeonato da modalidade marcado para 30 de agosto a 2 de setembro, em Viana do Castelo e Esposende, e que contornava as leis de tutela da modalidade. Para João Aranha, Presidente da FPS, “esta é uma decisão que defende a modalidade, a sua história e as competências exclusivas da nossa federação. É um marco fundamental que servirá para auxiliar na disputa internacional sobre a modalidade”.

    Reconhecendo a competência exclusiva da FPS para a organização e homologação de provas de Stand Up Paddle em Portugal, o TAD confirmou que os 2018 ICF Stand Up Paddling World Championships carecem de parecer prévio e vinculativo da FPS para poderem ser organizados legalmente. Uma vez que este parecer não foi requerido, e sendo-o, será fundamentadamente rejeitado pela FPS, conclui-se que os 2018 ICF Stand Up Paddling World Championships são ilegais à luz da lei portuguesa.

    Com a decisão do TAD, a FPC fica ainda impedida de ver os seus quadros técnicos ter intervenção no evento, implicando a exclusão de Marcos Oliveira da coordenação técnica do evento (que havia sido anunciada pela ICF) e a impossibilidade de participação de juízes nacionais na prova. De igual modo, o TAD determinou a impossibilidade de o evento beneficiar de apoios públicos concedidos pelo IPDJ ou Câmaras Municipais de Esposende e Viana do Castelo.

    Segundo os advogados da 14 Sports Law, empresa que representou a FPS nesta disputa, esta decisão terá “seguramente impacto no diferendo internacional que opõe o surf, modalidade que tradicionalmente fez nascer e crescer o Stand Up Paddle, à canoagem”. Vai, ainda, afirmar Portugal como um estado de direito, confirmando tutela exclusiva da FPS tal como reconhecida pelas instituições competentes, rejeitando a organização de um evento fora dos termos legais aplicáveis”.

    A decisão do TAD é passível de recurso, o qual, no entanto, não tem efeito suspensivo.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Foto - ICF

Tags
  • Tribunal Arbitral do Desporto
  • Federação Portuguesa de Surf
  • Federação Portuguesa de Canoagem
  • ICF Stand Up Paddling World Championship
  • sup
  • Portugal
  • turismo de portugal
  • joao aranha
pub
similar News
similar
agosto 07
MEO instala dispensadores gratuitos de protetor solar em 10 praias nacionais
agosto 07
MEO Beachcam alarga rede de Live Cams à Praia do Osso da Baleia
agosto 07
O fim de semana vai ter sol, calor, mas não em todo o país
agosto 07
Portugueses vão competir em evento especial em Pantín
agosto 07
Os banhos estão novamente autorizados na Praia da Nazaré
agosto 07
Rip Curl Fantasy Surfer - Vencedor do Allianz Sintra Pro já levantou prémio
agosto 07
TAS atribui jurisdição olímpica do SUP à ISA
pub