Homepage

  • Surfa pela primeira vez aos 74 anos em Sintra
    01 agosto 2018
    arrow
    arrow
  • Neste dia tive a oportunidade de ser o professor da minha mãe e uma vez mais, foi ela que me ensinou.
  • Ensinar a mãe a surfar por Gustavo Lermen Silva:

    Minha mãe sempre teve medo de água; foi criada às margens do rio Uruguai ouvindo histórias de afogamentos nos traiçoeiros redemoinhos do poderoso rio que divide os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, extremo sul do Brasil. Talvez se crescesse lá atualmente não tivesse esse trauma, pois parte da cidade de Marcelino Ramos e seu magnífico cânion foram submersos por conta da construção de uma usina hidrelétrica e barragem. O cânion era chamado de Estreito Augusto César e a sua grandeza foi coberta pelo "progresso" no ano 2000; com isso, o rio é transformado em um grande lago, alterando completamente a paisagem. O medo dela persiste até hoje e faz com que evite ao máximo mergulhar e colocar a cabeça debaixo d'água. Nunca pensou em surfar, fica em pânico só de ver alguém passando a arrebentação e costuma dizer: "Meu Deus, eles estão indo para o fundo!"

    Surpreendentemente ao ver um vídeo de duas senhoras de 80 e 78 anos surfando, achou engraçado uma delas declarando que quando ficava em pé na prancha sentia-se a "dona do mundo" e que não conseguia "explicar a alegria pela boca", então ficou motivada a experimentar também. Quando fui questionado por ela acerca dessa possibilidade hesitei, afinal, apesar de estar muito bem para quem está prestes a completar 75 anos, há riscos envolvidos e se acontecesse algum acidente eu me sentiria o responsável. No entanto, sendo instrutor de surf, não poderia negar-lhe este pedido e comecei elaborar um plano juntamente com a equipe da escola da Surf At… Surf School. Ao analisarmos as previsões, constatamos que haveria uma janela de três dias de mar pequeno na Praia das Maçãs, Sintra e decidimos que seria uma boa oportunidade. 

    Junto com meu pai ela fica mais forte e ganhou coragem para enfrentar o desafio. O meu pai tem 77 anos e apesar de algumas limitações físicas, geralmente está pronto para tudo, seja viajar, sair à noite ou subir uma montanha. Casados há 51 anos, os dois tem muita energia e caminham em média 5 km por dia. Gostam de dizer que são como as andorinhas por migrarem para outro hemisfério em busca de temperaturas mais amenas e tem um espírito aventureiro que se desenvolve cada vez mais. 

    É admirável vê-los ativos e muito bom constatar que idade cronológica não tem nada a ver com idade biológica, que se refere à qualidade da saúde e determina a qualidade de vida. 

    Estava tudo combinado para sua primeira aula de surf. Recebo então uma mensagem dizendo: "Querido filho, gostaria muito de te dar essa alegria e ter-te como meu professor de surf, mas refletindo melhor, devido as degenerações na coluna, acho mais sensato assistirmos juntos a galera surfando, como ontem, vendo o pôr-do-sol. Obrigada por querer me proporcionar essa experiência nova. Te amo, bjs "

    Foi uma mistura de sentimentos ler isso; por um lado senti um certo alívio e por outro uma desilusão. Resolvi não desistir, tentei convencê-la de suas capacidades e também que os riscos seriam minimizados ao máximo. O que primeiramente foi um desafio imposto a si próprio, talvez agora para ela fosse algo como mais uma 'prova de amor' ao filho. Além disso, ela queria muito entrar no meu mundo e satisfazer a sua curiosidade em entender o motivo da minha atração pelo mar desde pequeno.

    Chegou o dia; estava aparentemente tranquila dizendo que não havia criado nenhuma expectativa e iria deixar as coisas acontecerem. Assim, saímos cedo rumo à Praia das Maçãs com uma chuva fraca e ela dizendo, "bom que não está frio e não há vento". Quando pegou na minha mão para dar um passo rumo ao desconhecido, demonstrou total entrega e confiança

    Os nossos pais muitas vezes são os nossos super-heróis e apesar de perderem alguns superpoderes, incrivelmente ganham outros. 

    Conseguiu fazer o 'take off' em terra, mas dentro d'água tudo foi mais difícil e até posicionar-se deitada na prancha foi uma tarefa dura. A sua positividade ajudou bastante e pegamos duas ondas, ela sentiu a famosa sensação de deslizar impulsionada pela força do oceano e logo concluiu: "isto é fantástico".

    Os avanços da medicina não significam garantia de qualidade de vida. Saber envelhecer é aceitar esta fase e as suas limitações, é manter a curiosidade e o entusiasmo, é agregar conhecimento e sabedoria sem deixar de aprender constantemente, é, sobretudo, manter a mente 'jovem' mesmo com o passar dos anos. 

    Ela não entendeu bem porque todos os que estavam na praia abriam um grande sorriso ao vê-la com uma prancha debaixo do braço e vestida de surfista. Depois, ficou muito surpresa quando disse que iria contar a sua história: "ninguém vai querer saber disso, eu não fiz nada, nem consegui ficar em pé". 

    Fez muito, minha querida, principalmente em uma época onde vemos a exclusão dos idosos da sociedade e cada vez mais nos esquecemos de viver novas experiências. 

    Neste dia tive a oportunidade de ser o professor da minha mãe e uma vez mais, foi ela que me ensinou.

     

    Obrigado pela partilha Gustavo, esta história só vem uma vez mais demonstrar que a idade é um estado de espirito. Fica a questão no ar, quando veremos a Luiza a apanhar umas ondas na Nazaré?!?

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Gustavo Lermen Silva
  • Luiza Lermen Silva
  • Surf at...Surf School
  • sintra
  • praia grande
  • Praia das Maçãs
  • Surf
  • idade
  • velhice
  • estado de espirito
  • idosos
  • inclusão
  • Portugal
  • turismo de portugal
  • mãe
  • filho
pub
similar News
similar
setembro 18
Associação Sealand limpa Praia da Mexilhoeira
setembro 18
Carro de GMcNamara não foi furtado. Perdeu mala em Cascais e oferece 1000€ a quem encontrar o disco externo
setembro 18
Dois golfinhos mortos deram à costa em praias do Norte
setembro 18
As nações já qualificadas para Tóquio e os surfistas em risco
setembro 17
Cliff Diving Series: Campeões vitoriosos na despedida de 2019
setembro 17
Nuno Vitorino vs Tomás Valente – um heat nunca visto!
setembro 17
Circuito de Bodyboard 2019 - Restaurante O Sacas encerra em grande