Homepage

  • Chuva em Portugal, incêndios na Grécia, calor que mata no Japão… Assim anda o mundo
    25 julho 2018
    arrow
    arrow
  • A culpa? Segundo os especialistas, a culpa é dos...
  • Mas o que está na origem deste descontrolo?

    Ontem acordámos com uma notícia que nos é muito familiar: dezenas de pessoas morrem por causa dos incêndios. A história agora é na Grécia, mas as semelhanças com o que aconteceu no verão passado em Portugal são evidentes. Temperaturas altas e ventos muito fortes são impossíveis de controlar.

    Mas o clima parece que anda mesmo descontrolado. Em pleno mês de julho ainda não arrumámos as botas nem o guarda-chuva, na Sibéria foram registados 40 graus, a Suécia está em chamas, no Japão as temperaturas altas já mataram mais de 40 pessoas… mas isto vai continuar.

    A culpa? Segundo os especialistas, a culpa é dos anticiclones.

    Imagem: Anticiclone dos Açores

    Os anticiclones

    Os anticiclones (ou centros de altas pressões) são uma região em que o ar se afunda vindo de cima e suprime os movimentos ascendentes necessários à formação de nuvens e precipitação.

    Este é um fenómeno a que, segundo os especialistas, o hemisfério norte está a assistir com grande frequência e que está a afetar o clima em vários países. O norte da Europa encontra-se numa situação de anticiclone, a que os especialistas chamam de bloqueio, há mais de um mês, o que tem contribuído para que os países da Escandinávia e Reino Unido estejam a enfrentar temperaturas normais para o verão de Portugal ou Espanha.

    No caso de Portugal e Espanha, habitualmente assolados pelo “famoso” Anticiclone dos Açores, o fenómeno é o contrário. Chuvas fortes, trovoadas, temperaturas a rondar os 25 graus, estão a ser motivados por uma deslocação do Anticiclone dos Açores mais para Oeste do que é habitual nesta época do ano.

    Agosto será um mês de temperaturas amenas para Portugal e as temperaturas altas da na Escandinávia deverão manter-se assim também durante o próximo mês.

    Alguns dados que preocupam o mundo:

    -Na Grécia já se contabilizam 74 mortos e 156 feridos devido aos incêndios

     

    -A Suécia regista temperaturas de 35 graus, quando a média anual em julho ronda os 21º de máxima, e enfrenta mais de 20 fogos ativos

     

    -No Japão, depois de chuvas torrenciais que mataram mais de 200 pessoas, já morreram mais de 40 por causa do calor e as pessoas são aconselhadas a ficar dentro de casa com o ar condicionado ligado

     

    -Portugal e Espanha enfrentam chuvas rápidas e torrenciais que provocam inundações e estragos nas culturas

     

    -No Reino Unido o calor já fez secar água de locais onde foi possível encontrar vestígios de locais históricos nas Ilhas Britânicas

     

    -Montreal, no Canadá, registou a temperatura mais alta em julho dos últimos 147 anos.

     

    Será isto tudo culpa das alterações climáticas?

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fotografia: Briantissot

    Fonte: Pplware

Tags
  • tempo
  • temperaturas
  • chuva
  • Portugal
  • meteorologia
  • Grécia
  • Suécia
  • Inglaterra
  • Japão
  • calor
  • Alterações climáticas
  • mundo
  • clima
  • julho
  • Agosto
  • espanha
  • anticiclone
  • açores
  • anticiclone dos açores
  • frio
similar News
similar
fevereiro 01
Campeonato Nacional de Surf da Ucrânia vai ser disputado em Portugal
janeiro 31
Surf adaptado mantém bem vivo sonho da inclusão nos Jogos Paralímpicos de Los Angeles'2028
fevereiro 01
Índia vai estrear-se no Mundial ISA e já sonha com Paris’2024
janeiro 31
Comunicado da FPS sobre o projeto 'Gestão do Espaço Costeiro'
janeiro 31
Luke Shepardson, o vencedor improvável do Eddie Aikau que passou a ter um dia no Havai com o seu nome
janeiro 31
Ondas da Praia da Vigia consagraram campeões do Circuito Sealand Santa Cruz 2022
janeiro 30
Validade da certificação dos nadadores-salvadores prorrogada até ao final de 2023