Homepage

  • Todos unidos pelo Ambiente e Ondas em Matosinhos!
    10 maio 2018
    arrow
    arrow
  • MATOSINHOS COM ONDA é um Movimento Cívico espontâneo que surge da urgência em salvar uma Onda que é um dos ex-líbris da cidade.
  • Dizemos Não!

    À poluição da Praia de Matosinhos

    À destruição da Onda de Matosinhos

    Ver manifesto aqui

    Quem somos

    MATOSINHOS COM ONDA é um Movimento Cívico espontâneo que surge da urgência em salvar uma Onda que é um dos ex-líbris da cidade.

    O objetivo do Movimento Cívico MATOSINHOS COM ONDA é o da preservação da Onda de Matosinhos, património coletivo, tendo em vista o pleno aproveitamento das potencialidades turísticas de Matosinhos, potenciando também a rentabilidade económica da obra em curso do Porto Comercial.

    Este Movimento Cívico reconhece o valor da obra atualmente em curso no Porto Comercial de Matosinhos, Porto de Leixões, dada a sua importância estratégica para o desenvolvimento económico da região.

    O Movimento Cívico SOS MATOSINHOS COM ONDA não tem outra motivação para além da acima referida, sendo constituída por cidadãos de todos os quadrantes políticos partidários, surfistas de Matosinhos e de toda a região, e conta ainda com o apoio de várias associações locais, nacionais e internacionais.

    Podem participar na consulta pública todos os interessados em tal.

    O que pretendemos

    - As ondas de Matosinhos, serem formalmente consagradas como ondas com especial valor para a prática dos desportos de deslize - Nível I, no Programa da Orla Costeira (POC) Caminha-Espinho1 ;

    1 Tornando-se assim na segunda área em Portugal a ser reconhecida ao nível do Ordenamento do Território, à semelhança das ondas do Cabo Mondego, entre a Murtinheira e o Cabedelo, na Figueira da Foz, que estão formalmente consagradas como ondas com especial valor para a prática dos desportos de deslize - Nível I, no Programa da Orla Costeira (POC) Ovar - Marinha Grande, publicado no passado dia 10 de agosto de 2017.

    . Ondas com especial valor para os desportos de deslize - Refletem o crescente desenvolvimento dos desportos de onda e a sua importância económica e social, identificando-se em modelo territorial os locais que pelas suas características morfológicas, e pela procura de utilizadores para a prática destes desportos, justificam que sejam adotadas medidas de salvaguarda que permitam acautelar eventuais ações antrópicas com impactes na praia submersa. Os locais com reconhecimento internacional e com importância turística estratégica, como as ondas que integram a candidatura a Reserva Mundial de Surf de Matosinhos, onde se localiza a melhor onda para aprendizagem do continente europeu e uma das melhores do mundo, são destacados em modelo territorial (Nível I), atendendo a que pelo seu maior valor deverão ser objeto não só de medidas de proteção, mas também de gestão integrada que permita acautelar fatores de pressão e assegurar um aproveitamento económico sustentável destes recursos.

    Assim, a atuação da Administração deve atender ao seguinte:

    a) Assegurar a proteção dos locais mais valiosos para a prática dos desportos de deslize, promovendo a avaliação dos potenciais impactos negativos das obras costeiras perturbadoras da qualidade das condições das «ondas com especial valor para a prática de desportos de deslize» e quando possível a adoção de soluções alternativas;

    b) Promover a gestão integrada das «ondas com especial valor para a prática dos desportos de deslize - nível I»;

    c) Promover a valorização das «ondas com especial valor para a prática dos desportos de deslize», reconhecendo o seu valor como património natural e assegurando a sua proteção, estudo e promoção;

    d) Adotar medidas de gestão que assegurem a mitigação das pressões sobre o meio costeiro, marinho e terrestre, resultantes do crescimento da prática desportiva, e o aproveitamento sustentável das oportunidades económicas associadas aos desportos de deslize;

    e) Promover a compatibilização de interesses conflituantes entre atividades, modalidades e utilizações das praias e dos planos de água associados, criando condições para uma utilização segura destes espaços;

    f) Promover um maior conhecimento do ambiente costeiro e dos fatores que concorrem para a singularidade de cada onda e das implicações que as alterações climáticas terão nestes recursos turísticos.

    - A consagração de Matosinhos como Reserva Mundial de Surf pela organização internacional Save the Waves Coalition, World Surfing Reserves1;

    1 Cuja janela de submissão decorre de 30 de junho a 30 de setembro de 2018 e critérios que conduzem ao seu reconhecimento oficial são a qualidade e a consistência das ondas, a importante história e cultura de surf local, a riqueza e sensibilidade ambiental da área e, ainda, a forte mobilização da comunidade. A acontecer a referida classificação faria de Matosinhos a segunda reserva de Portugal e da Europa, a para da Ericeira, estatuto, este, que seria responsável por inquantificáveis benefícios económicos, lúdicos e reputacionais para o Concelho de Matosinhos, mas cujo objetivo principal é a preservação, defesa e conservação das zonas de surf, das praias, do meio ambiente circundante e demais patrimónios ambientais e culturais.

    Consultem aqui o manifesto

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fotografias: Freguesia de Matosinhos - Leça da Palmeira

Tags
  • Leixões
  • porto
  • matosinhos
  • Movimento Matosinhos com Onda
  • surf
  • Sustentabilidade
  • Impacte Ambiental
pub
similar News
similar
fevereiro 19
A subida do mar irá afetar 150 mil portugueses!
fevereiro 19
Jovem é arrastado por onda e apanha grande susto na Praia do Norte
fevereiro 19
Laird Hamilton veio até à Nazaré surfar o swell da temporada (FOTOS E VÍDEO)
fevereiro 17
'Gringo' a voar como nunca em Carcavelos
fevereiro 18
Esqueces-te da prancha para surfar? No Rio de Janeiro não há problema
fevereiro 15
Miguel Blanco: “Vou apanhar boas ondas até final de Março” (Entrevista)
fevereiro 18
Inscrições abertas para curso de Nadador-Salvador Profissional em Sintra