Homepage

  • Francês vai atravessar Pacífico a nado!
    30 maio 2018
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    The Longest Swim
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Aventura de Ben Lecomte vai contar com o apoio de várias entidades que procuram ficar a conhecer melhor a poluição no oceano.
  • Em 1998 Ben Lecomte tornou-se na primeira pessoa a atravessar o Oceano Atlântico a nadar, sem o auxílio de qualquer prancha. Agora, o nadador francês, de 50 anos, prepara-se para uma façanha ainda maior: vai atravessar o Pacífico a nadar. Uma missão que pode trazer benefícios para o conhecimento da poluição que ameaça os oceanos.

    Esta nova missão de Lecomte tem data marcada para junho e deverá durar até dezembro deste ano. Isso mesmo, 6 meses a nadar em alto mar para atravessar o Oceano Pacífico. Qualquer coisa como 10 mil km a nadar, quase do dobro daquilo que fez no Atlântico.

    A aventura vai iniciar-se em Chiba, no Japão, dentro de poucos dias e é esperado que o nadador francês chegue a São Francisco, nos Estados Unidos, em dezembro próximo. “Tenho estado a trabalhar neste objetivo durante os últimos sete anos, por isso sinto-me como um tigre enjaulado, pronto para começar”, afirmou Lecomte.

    Após vários avanços e recuos a aventura irá agora mesmo em frente. Inicialmente, o francês queria ter iniciado esta travessia em maio de 2013. Depois tudo foi adiado para dezembro de 2015 e ainda para abril de 2017. Mais de um ano depois, tudo parece finalmente a postos. Como apoio, o nadador francês terá uma embarcação de 20 metros, adaptada propositadamente para esta aventura. É nela que irá dormir e descansar nos próximos 6 meses.

    Lecomte vai contar com o apoio de 27 instituições científicas nesta aventura, incluindo a NASA e a Woods Hole Oceanographic Institution. Estas parecerias têm o intuito e a esperança de dar a conhecer melhor a verdadeira poluição que existe no Pacífico. O efeito do fitoplâncton sobre a disponibilidade de nutrientes no oceano e o impacto da gravidade reduzida no corpo humano são algumas das questões que as instituições esperam ver respondidas.

    “Tenho uma ligação profunda ao ambiente, mas, infelizmente, com a minha experiência de quase 40 anos a nadar, tenho testemunhado muitas mudanças. Há plástico por todo o lado. As praias limpas que pisei na minha infância agora também têm plástico. Sento-me e não faço nada acerca disso? Ou uso a minha paixão para alertar para este problema?”, frisou Lecomte.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Travessia
  • Oceano Pacífico
  • Poluição
  • Ben Lacomte
  • Fotografia
    The Longest Swim
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
março 30
Erupção do vulcão Merapi expeliu cinzas a 5 mil metros de altura (Vídeo)
março 30
COI mantém qualificação de Tóquio’2020 para 2021
março 30
Clube de Surf de Faro lança Surf & Fitness em Casa
março 30
Empresários de Cascais lançam iniciativa que pode ajudar as escolas de surf
março 30
Municípios de Albufeira e Loulé condicionam acesso às praias
março 30
Alex Botelho concede primeira entrevista após acidente na Nazaré
março 30
FPS à caça dos talentos do futuro