Homepage

  • Espanhois unem-se a Portugueses contra petroleo
    01 junho 2018
    arrow
    arrow
  • Ecologistas en Acción a caminho de Lagos para unir esforços com organizações portuguesas e dizer a uma só voz 'NÃO ao furo de Aljezur!'
  • Comunicado:

    No dia 4 de junho às 11:00, vamos receber o veleiro da Ecologistas en Acción na Marina de Lagos! A Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) e a Organização Não Governamental de Ambiente espanhola Ecologistas en Acción unem esforços e dizem a uma só voz “NÃO ao furo de Aljezur!”.

    A luta contra a ameaça do petróleo existe há algum tempo e não é nova em Espanha onde, em julho de 2017, houve manifestações que exigiam a retirada da plataforma de petróleo que chegou ao Porto de Almeria para permanecer durante 6 meses, sem nenhuma outra explicação além de que iriam realizar trabalhos de manutenção. Em maio de 2014, o grupo Ben Magec, das Ilhas Canárias, realizou a campanha “Nós temos muita energia! Porquê o petróleo?” para exigir um novo modelo de energia para o arquipélago. Os combustíveis fósseis são finitos a curto prazo, poluentes e caros. Por que se continua a apostar em combustíveis fósseis? Para quê continuar a negar investimento real em energias alternativas? O sector da energia é monopolizado por um pequeno grupo de entidades que lucram com este negócio em nome de um suposto “progresso económico” e que fecham os olhos perante as graves consequências ambientais da sua atividade.

    Naquela que é uma ação de sensibilização ibérica sobre a exploração de petróleo e gás na costa portuguesa, chega a Lagos o veleiro da Ecologistas en Acción, numa demonstração clara de solidariedade do resto da Península Ibérica para com os portugueses. A luta, bem como a ameaça, é transfronteiriça, é um assunto que preocupa portugueses e espanhóis e é uma declaração de que o combate às alterações climáticas deve ser globalizado!

    Em causa está o “furo de Aljezur” que tem motivado muitas manifestações e ações da população em Portugal. Espanha junta-se assim a nós nesta luta.

    As entidades pretendem sensibilizar o público e os governantes para o facto de que qualquer impacto no meio marinho em águas portuguesas irá necessariamente afetar o país vizinho e que este não é um assunto que diga respeito apenas a um Estado. Rejeitamos unanimemente as políticas energéticas baseadas em combustíveis fósseis que aceleram as consequências das alterações climáticas e degradam os ecossistemas marinhos. Unimos forças para reivindicar um novo modelo energético baseado no consumo, gestão e produção de energia mais sustentável, descentralizado, eficiente, democrático e solidário, em prol de um bem-estar mais saudável, livre e económico.

    Por isso, convidamos todos a virem ter connosco à Marina de Lagos no dia 4 de junho, pelas 11:00, para receber o veleiro Diosa Maat que parte de Cadiz, Espanha, no dia 1 de junho e vai percorrer parte da costa portuguesa, parando também em Lisboa, onde participará numa ação de sensibilização sobre a sobrepesca em águas europeias.

    Contactos:

    Ana Matias (PALP) | +351 915684976

    Marquesa D’Ascoli (Ecologistas en Acción) | +34 603269704

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • PALP
  • Plataforma Algarve Livre de Petróleo
  • Ecologistas en Accion
  • Petroleo
  • aljezur
  • nao ao furo sim ao futuro
  • algarve
  • Lagos
pub
similar News
similar
setembro 19
Liga MEO Surf: Título nacional masculino decide-se no Cascais Pro
setembro 20
Bodyboard: Título mundial Júnior decide-se em Viana do Castelo
setembro 21
Bodyboard: Armide Soliveres assina onda de 10 pontos no Pro Junior de Viana
setembro 20
ISEP acaba com venda de garrafas de água de plástico
setembro 20
Shaper Matt Biolos na 58 Surf Shop
setembro 13
Fundador da Chilli Surfboards, James Cheal, visita Portugal
setembro 20
Milhares de alunos em greve pelo clima