Homepage

  • Derrame em Sines: Universidade falseou dados?
    09 abril 2018
    arrow
    arrow
  • A empresa responsável pelo derrame (MSC) foi acusada de crime ambiental e o laboratório está agora na mira da Justiça.
  • O Laboratório de Ciências do Mar (CIEMAR) da Universidade de Évora está sob suspeita de ter falseado dados relativamente ao derrame de fuelóleo que aconteceu em outubro de 2016 em Sines. O Ministério Público (MP) de Setúbal está a investigar o CIEMAR por causa de um estudo à qualidade da água, que não apontou qualquer poluição após o desastre. No entanto, outro estudo apurou a existência inequívoca de poluição.

    A notícia foi avançada na passada sexta-feira pelo Jornal de Notícias. O estudo foi financiado pela Administração do Porto de Sines e os resultados ilibavam a empresa, mas viriam posteriormente a ser refutados por outro estudo. A empresa responsável pelo derrame (MSC) foi acusada de crime ambiental e o laboratório está agora na mira da Justiça.

    Clica aqui para veres a live cam de Sines ao vivo.

    O acidente provocou o derrame de cerca de 30 toneladas de fuelóleo no terminal 21 do Terminal de Sines. O segundo estudo terá revelado níveis de naftaleno na água 2 mil vezes superiores ao estabelecido pela norma de qualidade ambiental. Algo completamente oposto ao anunciado pelo primeiro estudo.

    Ausenda Balbino, vice-reitora da Universidade de Évora, falou à comunicação social em reação às notícias da suspeita de falseamento de dados, garantindo que o laboratório “fez o que entendeu que tinha de ser feito”. “Não podemos comparar coisas que não são comparáveis. Tinha de ser pedida o mesmo tipo de análise, no mesmo sítio”, defendeu.

    “As análises feitas foram feitas com a metodologia habitual e cumprindo com todas as regras. Não houve falseamento de nada. Foram colhidas amostras de água à superfície em diversos pontos. Houve rigor”, argumentou a responsável da Universidade, embora o novo estudo tenha mostrado o impacto ambiental causado pelo desastre de outubro de 2016.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

     

Tags
  • Universidade de Évora
  • Porto de Sines
  • Administração dos Portos de Sines e do Algarve
  • Petróleo
  • Desastre ambiental
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 26
Dr. Bernard Surf Center vai receber 2º Curso de Treinadores de Surf Grau I
janeiro 26
Jessi Miley-Dyer: 'Os surfistas deram bom feedback à inclusão de El Salvador no CT'
janeiro 26
As reações à pausa de Gabriel Medina
janeiro 25
FPS e o futuro do Parque das Gerações: 'A destruição seria uma enorme perda para as comunidades do skate e do surf'
janeiro 25
Millennium BCP lança 'GO! Changer': um cartão ecológico e biodegradável
janeiro 24
Inscrições disponíveis para os primeiros cursos de Treinadores de Surfing Grau I da ASI Portugal em 2022
janeiro 24
Descoberto um dos maiores recifes de coral do mundo no Taiti