Homepage

  • Derrame em Sines: Universidade falseou dados?
    09 abril 2018
    arrow
    arrow
  • A empresa responsável pelo derrame (MSC) foi acusada de crime ambiental e o laboratório está agora na mira da Justiça.
  • O Laboratório de Ciências do Mar (CIEMAR) da Universidade de Évora está sob suspeita de ter falseado dados relativamente ao derrame de fuelóleo que aconteceu em outubro de 2016 em Sines. O Ministério Público (MP) de Setúbal está a investigar o CIEMAR por causa de um estudo à qualidade da água, que não apontou qualquer poluição após o desastre. No entanto, outro estudo apurou a existência inequívoca de poluição.

    A notícia foi avançada na passada sexta-feira pelo Jornal de Notícias. O estudo foi financiado pela Administração do Porto de Sines e os resultados ilibavam a empresa, mas viriam posteriormente a ser refutados por outro estudo. A empresa responsável pelo derrame (MSC) foi acusada de crime ambiental e o laboratório está agora na mira da Justiça.

    Clica aqui para veres a live cam de Sines ao vivo.

    O acidente provocou o derrame de cerca de 30 toneladas de fuelóleo no terminal 21 do Terminal de Sines. O segundo estudo terá revelado níveis de naftaleno na água 2 mil vezes superiores ao estabelecido pela norma de qualidade ambiental. Algo completamente oposto ao anunciado pelo primeiro estudo.

    Ausenda Balbino, vice-reitora da Universidade de Évora, falou à comunicação social em reação às notícias da suspeita de falseamento de dados, garantindo que o laboratório “fez o que entendeu que tinha de ser feito”. “Não podemos comparar coisas que não são comparáveis. Tinha de ser pedida o mesmo tipo de análise, no mesmo sítio”, defendeu.

    “As análises feitas foram feitas com a metodologia habitual e cumprindo com todas as regras. Não houve falseamento de nada. Foram colhidas amostras de água à superfície em diversos pontos. Houve rigor”, argumentou a responsável da Universidade, embora o novo estudo tenha mostrado o impacto ambiental causado pelo desastre de outubro de 2016.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

     

Tags
  • Universidade de Évora
  • Porto de Sines
  • Administração dos Portos de Sines e do Algarve
  • Petróleo
  • Desastre ambiental
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
maio 05
Praia de Mira, a única zona balnear que há 35 anos consecutivos recebe a Bandeira Azul
maio 05
Vai nascer no Barreiro uma das maiores praias fluviais da Área Metropolitana de Lisboa
maio 04
Caparica acolhe etapa única portuguesa do Rip Curl GromSearch
maio 04
Sesimbra prestes a receber 2ª edição do Ocean Talks
maio 04
Câmara de Almada adjudica obras de requalificação da Estrada Florestal da Caparica
maio 04
Joana Schenker vai ajudar a limpar a Praia da Cordoama
maio 03
Maio cheio de surf: WCT, Liga MEO, QS em Portugal e ISA World Surfing Games