Homepage

  • Algarve está contra exploração de petróleo na região
    14 fevereiro 2018
    arrow
    arrow
  • 'O Governo já cancelou as duas concessões na costa sul, falta a terceira, na costa oeste'
  • A posição é unânime e é partilhada por todos os municípios algarvios.

    A Comunidade Intermunicipal do Algarve, de onde fazem parte todos os concelhos algarvios, criticou este sábado a decisão do Governo de renovar uma licença para pesquisa de petróleo ao largo de Aljezur, na costa sudoeste de Portugal, e exortou o executivo a rescindir o contrato que a autoriza.

    O presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), Jorge Botelho, manifestou à agência Lusa a posição adotada “de forma unânime” pelos 16 municípios da região, na sua última reunião, “contra o prolongamento da licença para a exploração, para fazer o furo”, atribuída por um ano ao consórcio ENI-Galp, ao largo da costa vicentina.

    Jorge Botelho, que acumula as presidências da AMAL e da Câmara de Tavira, desvalorizou o facto de a licença renovada pelo Governo “estar condicionada a uma avaliação de impacte ambiental” e assegurou que os municípios do Algarve estão a “manter a mesma posição de sempre” contra a prospeção e exploração de petróleo na região.

    "Estamos totalmente contra a mínima possibilidade de haver prospeção e exploração de petróleo no Algarve, porque isso não bate certo com a dinâmica económica da região e também não bate certo com aquilo que são as estratégias do Governo, até no próprio programa de Governo, de utilização de energias limpas e renováveis”, afirmou Jorge Botelho.

    O presidente da AMAL exortou, por isso, o executivo socialista a acabar com essa exploração, à semelhança do que fez quando rescindiu os contratos para outros dois furos previstos para a costa sul do Algarve.

    “Reconhecendo que o Governo já cancelou as duas concessões na costa sul, falta a terceira, na costa oeste, na costa vicentina, que nós queremos ver revogada, por isso, a nossa tomada de posição de forma unânime”, justificou o representante dos 16 municípios do Algarve.

    Jorge Botelho lembrou que a AMAL já tem “uma providência cautelar sobre esse furo interposta no Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Lisboa” e defendeu que, “se os dados materiais para a concretização desse furo acontecerem, a decisão tem de ser tomada e a providência cautelar decretada”.

    O autarca, eleito pelo PS, garantiu que a posição da AMAL “é clara”, “não enfraqueceu” e quer “a rescisão das três concessões”.

    “Duas estão concretizadas, falta a terceira, cujo prolongamento da perfuração foi agora autorizado e que nós não queremos. Lamentamos que a decisão tenha sido tomada e queremos que seja revertida”, reiterou.

    O autarca algarvio argumentou que o Governo “tem que saber o que é que os algarvios pensam sobre a prospeção de petróleo no Algarve e também tem que se preocupar com a dinâmica empresarial, o clima económico e a atividade principal, de todas as zonas do país, inclusivamente da região do Algarve”.

    “Sendo o fator turismo um fator diferenciador da economia da região, não faz qualquer sentido, nem que seja por publicidade até exterior e internacional, que o Algarve tenha perfuração de petróleo a ser feita, com a possibilidade de passar à fase de exploração, que verdadeiramente não acreditamos e queremos que não aconteça”, acrescentou.

    ENI e GALP insistem em avançar com a exploração.

    Questionado sobre a possibilidade de o executivo ter prolongado a licença por questões contratuais com o consórcio em causa (ENI-Galp), Jorge Botelho respondeu que “o Governo pode ter contratos”, mas “deve rescindir este contrato ou não autorizar mais esta possibilidade”.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reportspreparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte: Observador

    Foto: Oilgarve e MALP

Tags
  • AMAL
  • Algarve
  • municipios
  • Costa Vicentina
  • aljezur
  • Petróleo
  • alentejo
  • hidrocarbonetos
  • Sustentabilidade
  • Alterações climáticas
  • jorge botelho
  • mar
  • praia
  • praias
  • oceanos
  • Poluição
  • risco
  • Exploração
  • Oilgarve
pub
similar News
similar
outubro 18
Fim de semana chega com sábado muito chuvoso
outubro 18
Tráfego marítimo contribui para 20% da poluição costeira em Portugal
outubro 18
Seca e má gestão deixam o Tejo em mínimos históricos
outubro 18
Glaciares suíços sofrem maior redução em 100 anos
outubro 18
Previsão de mau tempo cancela sessão de autógrafos na 58 Surf
outubro 17
Inscrições abertas para a 2ª etapa do Circuito de Bodyboard do Ericeira Surf Clube
outubro 17
No Corvo haverá um apagão para salvar as aves marinhas