Homepage

  • Algarve está contra exploração de petróleo na região
    14 fevereiro 2018
    arrow
    arrow
  • 'O Governo já cancelou as duas concessões na costa sul, falta a terceira, na costa oeste'
  • A posição é unânime e é partilhada por todos os municípios algarvios.

    A Comunidade Intermunicipal do Algarve, de onde fazem parte todos os concelhos algarvios, criticou este sábado a decisão do Governo de renovar uma licença para pesquisa de petróleo ao largo de Aljezur, na costa sudoeste de Portugal, e exortou o executivo a rescindir o contrato que a autoriza.

    O presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), Jorge Botelho, manifestou à agência Lusa a posição adotada “de forma unânime” pelos 16 municípios da região, na sua última reunião, “contra o prolongamento da licença para a exploração, para fazer o furo”, atribuída por um ano ao consórcio ENI-Galp, ao largo da costa vicentina.

    Jorge Botelho, que acumula as presidências da AMAL e da Câmara de Tavira, desvalorizou o facto de a licença renovada pelo Governo “estar condicionada a uma avaliação de impacte ambiental” e assegurou que os municípios do Algarve estão a “manter a mesma posição de sempre” contra a prospeção e exploração de petróleo na região.

    "Estamos totalmente contra a mínima possibilidade de haver prospeção e exploração de petróleo no Algarve, porque isso não bate certo com a dinâmica económica da região e também não bate certo com aquilo que são as estratégias do Governo, até no próprio programa de Governo, de utilização de energias limpas e renováveis”, afirmou Jorge Botelho.

    O presidente da AMAL exortou, por isso, o executivo socialista a acabar com essa exploração, à semelhança do que fez quando rescindiu os contratos para outros dois furos previstos para a costa sul do Algarve.

    “Reconhecendo que o Governo já cancelou as duas concessões na costa sul, falta a terceira, na costa oeste, na costa vicentina, que nós queremos ver revogada, por isso, a nossa tomada de posição de forma unânime”, justificou o representante dos 16 municípios do Algarve.

    Jorge Botelho lembrou que a AMAL já tem “uma providência cautelar sobre esse furo interposta no Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Lisboa” e defendeu que, “se os dados materiais para a concretização desse furo acontecerem, a decisão tem de ser tomada e a providência cautelar decretada”.

    O autarca, eleito pelo PS, garantiu que a posição da AMAL “é clara”, “não enfraqueceu” e quer “a rescisão das três concessões”.

    “Duas estão concretizadas, falta a terceira, cujo prolongamento da perfuração foi agora autorizado e que nós não queremos. Lamentamos que a decisão tenha sido tomada e queremos que seja revertida”, reiterou.

    O autarca algarvio argumentou que o Governo “tem que saber o que é que os algarvios pensam sobre a prospeção de petróleo no Algarve e também tem que se preocupar com a dinâmica empresarial, o clima económico e a atividade principal, de todas as zonas do país, inclusivamente da região do Algarve”.

    “Sendo o fator turismo um fator diferenciador da economia da região, não faz qualquer sentido, nem que seja por publicidade até exterior e internacional, que o Algarve tenha perfuração de petróleo a ser feita, com a possibilidade de passar à fase de exploração, que verdadeiramente não acreditamos e queremos que não aconteça”, acrescentou.

    ENI e GALP insistem em avançar com a exploração.

    Questionado sobre a possibilidade de o executivo ter prolongado a licença por questões contratuais com o consórcio em causa (ENI-Galp), Jorge Botelho respondeu que “o Governo pode ter contratos”, mas “deve rescindir este contrato ou não autorizar mais esta possibilidade”.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reportspreparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte: Observador

    Foto: Oilgarve e MALP

Tags
  • AMAL
  • Algarve
  • municipios
  • Costa Vicentina
  • aljezur
  • Petróleo
  • alentejo
  • hidrocarbonetos
  • Sustentabilidade
  • Alterações climáticas
  • jorge botelho
  • mar
  • praia
  • praias
  • oceanos
  • Poluição
  • risco
  • Exploração
  • Oilgarve
pub
similar News
similar
março 30
Erupção do vulcão Merapi expeliu cinzas a 5 mil metros de altura (Vídeo)
março 30
COI mantém qualificação de Tóquio’2020 para 2021
março 30
Clube de Surf de Faro lança Surf & Fitness em Casa
março 30
Empresários de Cascais lançam iniciativa que pode ajudar as escolas de surf
março 30
Municípios de Albufeira e Loulé condicionam acesso às praias
março 30
Alex Botelho concede primeira entrevista após acidente na Nazaré
março 30
FPS à caça dos talentos do futuro