Homepage

  • Dada a perigosidade que representava manter esta situação, foi necessária uma intervenção imediata.
  • Uma patrulha da Polícia Marítima do Comando-local de Setúbal, enquanto efetuava uma ronda marítima pelas várias instalações portuárias integradas no porto, no dia 10 de janeiro, detetou uma caçada de redes de emalhar, calada por baixo do cais da SECIL. Vejam o vídeo para comprovar.

    Esta situação, além de ilegal, representa um grande risco para a navegação mercante que diariamente pratica estas instalações. Durante uma simples manobra de atracar ou largar, poderão estas artes de pesca afetar gravemente um navio mercante, na sua capacidade de manobra e propulsão, originando assim um acidente com consequências graves.

    Dada a perigosidade que representava manter esta situação, foi necessária uma intervenção imediata. Assim, numa manobra dificultada pela limitação de espaço de operação para homens e embarcações, elementos da Polícia Marítima de Setúbal procederam à recolha das redes de emalhar colocadas por baixo do cais da SECIL.

    Logo que terminada esta ação, e em ato contínuo, foram detetadas algumas marcas (jerricans) fundeadas, junto a este cais e no canal principal de navegação do Sado, sem marcações legais e sem qualquer identificação de pertença, pelo que as artes foram aladas para bordo das semirrígidas da Polícia Marítima e seguiram apreendidos para as instalações do Comando-local de Setúbal.

    O pescado retirado destas artes, perfazendo cerca de 14 quilos, foi igualmente apreendido e doado a uma instituição social da cidade de Setúbal.

    Ainda em Setúbal a Polícia Marítima patrulhou Domínio Público Marítimo entre Troia e Melides

    Elementos do Comando-local da Polícia Marítima de Setúbal percorreram no dia 11 de janeiro, em patrulha, toda a área do Domínio Publico Marítimo entre a península de Troia e a Ribeira das Fontainhas, a norte de Melides. Entre outros locais foram verificadas as praias da Aberta Nova, Raposa, Galé, Pêgo, Carvalhal, Comporta, e as várias praias de Troia.

    Durante a patrulha foram fiscalizados 14 pescadores lúdicos apeados, que foram também alertados para os riscos acrescidos que representa o mar nesta altura do ano, dos cuidados que deverão ser seguidos e medidas a tomar em caso de emergência.

    Foram também detetadas as carcaças de alguns cetáceos, já em avançado estado de decomposição, arrojados para terra nestes últimos dias de maior agitação marítima. A situação foi reportada ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e aos municípios com responsabilidades na área respetiva.

    Já no período do arco noturno foi detetada uma viatura em circulação nas dunas e zona de praia, tendo o condutor sido identificado e levantado o respetivo auto-de-notícia.

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte e Fotografias: AMN

Tags
  • Setúbal
  • Praia
  • Praias
  • Cais
  • Redes
  • Pesca
  • Pescadores
  • Grândola
  • Melides
  • Praia do Carvalhal
  • Pêgo
  • Comporta
  • Tróia
  • cetáceos
  • Polícia Marítima
  • Autoridade Marítima Nacional
  • patrula
  • Pesca ilegal
  • ilegal
  • alentejo
  • portugal
  • costa alentejana
  • litoral alentejano
pub
similar News
similar
outubro 22
Surfista preso em zona de falésia é resgatado em Aljezur
outubro 22
Bernardo Jerónimo avança mais uma ronda no Frontón King 2020
outubro 22
Bom Petisco Cascais Pro alimentado a 60% com energia solar
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 21
Salvamentos aumentaram nas praias portuguesas na época balnear de 2020
outubro 21
Primeira ondulação grande da temporada deverá entrar na Nazaré a partir de domingo
outubro 21
Circuito Regional da Madeira SUP Race arrancou em grande estilo
pub