Homepage

  • A porta do frigorífico do planeta ficou aberta
    13 dezembro 2017
    arrow
    arrow
  • Cerca de 79 % do gelo do Ártico diminuiu em apenas um ano...
  • A massa de gelo no Ártico está a diminuir e a colapsar.

    O que há dez anos era considerado extremo é agora tido como normal. O solo está a descongelar cada vez mais rapidamente e a água do mar continua a aquecer. As consequências podem ser drásticas e imprevisíveis, revela um relatório da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos divulgado esta quarta-feira.

    Um Ártico cada vez mais quente, onde as temperaturas se elevam duas vezes mais rápido do que no resto do planeta. "O ano de 2017 continuou a mostrar-nos que estamos nessa tendência de aprofundamento. O Ártico é atualmente um lugar muito diferente do que era há uma década", disse Jeremy Mathis, diretor do programa de pesquisa Arctic da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA) e coautor do relatório, de 93 páginas.

    O solo do Ártico - permafrost - está a descongelar cada vez mais rapidamente. Cerca de um quarto da superfície terrestre está sob este tipo de solo, em especial nas regiões de altitudes elevadas.

    O permafrost, encontrado no Ártico, é composto por terra, rochas e gelo permanentemente congelados.

    Os investigadores referem que estes fatores representam um “novo normal” para a região, cujas consequências se poderão estender muito para além do território. “A magnitude e o ritmo do aquecimento do gelo marinho e da superfície dos oceanos é algo sem precedentes nos últimos 1,5 mil anos, pelo menos, e provavelmente muito mais”.

    Relatórios preliminares de 2017 dos Estados Unidos e do Canadá mostram que as temperaturas do permafrost são "novamente as mais quentes para todos os lugares" medidas na América do Norte, disse o coautor do estudo, Vladimir Romanovsky, professor da Universidade do Alasca em Fairbanks.

    Cerca de 79 por cento do gelo do Ártico diminuiu em apenas um ano.

    Em 1985, 45 por cento do gelo do Ártico era grosso, mais antigo, disse a cientista Emily Osborne, da NOAA.

    Uma nova investigação aos últimos núcleos de gelo do Ártico, usando fósseis, corais e conchas como suporte para medidas de temperatura, mostra que as temperaturas do oceano no Ártico estão a aumentar a níveis nunca vistos.

    Os cientistas estão preocupados porque a região mais a norte está a aquecer duas vezes mais rápido e atingiu um nível de aquecimento que não há precedentes nos tempos modernos.

    As consequências das mudanças climáticas, segundo o relatório, vão desde prejuízos na atividade pesqueira até a um maior risco de incêndios em regiões de altitudes elevadas.

    As consequências previsíveis deste aquecimento, alertam os cientistas, vão desde prejuízos na atividade pesqueira no Mar de Bering até à maior probabilidade de incêndios em regiões de altitudes elevadas.

    Em causa estão mudanças que vão afetar a vida de todos.

    Ou seja, "mais fenómenos climáticos extremos, alimentos mais caros e novos impactos com refugiados, desta vez fugindo das condições e consequências climáticas", explicou ainda o investigador Jeremy Mathis, durante a apresentação do estudo.

    "O Ártico tem sido, tradicionalmente, o frigorífico do planeta, mas a porta ficou aberta, e o frio está a perder-se por todo o Hemisfério Norte", concluiu.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte e Fotografias: RTP | Youtube

Tags
  • Ártico
  • degelo
  • Aquecimento global
  • Alterações climáticas
  • gelo
  • temperaturas
  • perigo
  • Natureza
  • Vida Animal
  • nooa
similar News
similar
setembro 28
Mercedes-Benz vai celebrar o Dia Mundial do Mar com a temática Nazaré
setembro 28
Praia do Seixal consagrou vencedores da 4ª etapa do Regional de SUP Race da Madeira 2022
setembro 28
Praia de Matosinhos vai receber iniciativa 'Surf Adaptado'
setembro 28
Projeto TransforMAR recolheu 67 toneladas de plástico e metal das praias portuguesas este verão
setembro 28
AON Titan Trophies 2022 terminou nas ondas de Leça da Palmeira
setembro 27
The Surf Experience vai celebrar 30º aniversário com festival de música em Lagos
setembro 27
David Raimundo: 'A Seleção Nacional de Surf mostrou ao mundo uma vez mais o valor do surfista português'