Homepage

  • GALP avança por Petróleo na Bacia de Peniche
    22 novembro 2017
    arrow
    arrow
  • Este contrato abrangia quatro blocos, designados por Camarão, Ameijoa, Mexilhão e Ostra. Nomes singelos para aligeirar a coisa.
  • Andam mesmo a brincar com a saúde das pessoas e claro, com a saúde das nossas praias.

    Depois de Peniche se ter livrado dos contratos de exploração de hidrocarbonetos na sua Bacia de Peniche, eis que aparece a GALP a dizer que quer a totalidade das concessões.

    A Galp requereu o fim da posição dos parceiros na pesquisa de petróleo no bloco Camarão, na bacia de Peniche, solicitando a totalidade da concessão, posicionando-se como operadora do consórcio, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

    Tal como anunciamos, a pesquisa de petróleo na bacia de Peniche não tem atualmente contratos ativos, o que está relacionado com este pedido da petrolífera nacional de alteração contratual para o único bloco - Camarão - do contrato em que mantém interesse, uma vez que qualquer alteração contratual implica consulta aos municípios e aprovação do Governo.

    A agência de notícias Lusa tentou contactar o Governo e Galp, tendo ambos recusado comentar este pedido alteração ao contrato de concessão para a pesquisa de petróleo 'offshore' (no mar), em Peniche, feito em maio.

    A Galp detinha 30% do contrato de concessão, celebrado em 18 de maio de 2007, por negociação direta, que integrava ainda a Repsol (34%), Kosmos (31%) e a Partex (5%), que agora saem do consórcio, passando, se houver ‘luz verde’ do Governo, a petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva a ser o operador.

    Este contrato abrangia quatro blocos, designados por Camarão, Ameijoa, Mexilhão e Ostra, mas no primeiro semestre deste ano o consórcio desistiu de avançar em três concessões que detinha na bacia de Peniche, o que levou a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva a registar uma imparidade de 22 milhões de euros.

    Como noticiado em julho, o contrato de três blocos da bacia de Peniche (Ameijoa, Mexilhão e Ostra) cessou, por pedido do consórcio, com base na análise aos dados geológicos recolhidos, que demonstraram que "não têm magnitude nem dimensão que justifiquem o desenvolvimento de um projeto".

    Ainda assim, o consórcio manteve um bloco, designado Camarão, que, entretanto, deixou também de ter um contrato ativo com a Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC).

    Ajudem a travar este tipo de atentados ao nosso mar em Peniche Livre de Petróleo

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram 

    Fonte: Tvi24

Tags
  • crime ambiental
  • galp
  • Petróleo
  • peniche
  • lagosta
  • camarão
  • hidrocarbonetos
  • Sustentabilidade
  • Poluição
  • Aquecimento global
pub
similar News
similar
janeiro 22
Costa Este americana vai receber nova piscina de ondas
janeiro 22
Inscrições abertas para o fecho do Circuito de Bodyboard do Ericeira Surf Clube
janeiro 22
Kikas recebe homenagem na Gala do Desporto de Cascais
janeiro 21
Potente gás com efeito de estufa está a aumentar na atmosfera
janeiro 21
Portugueses desenvolvem tecnologia para detetar lixo marinho
janeiro 21
Vila Real quer plantar um milhão de árvores em 2020
janeiro 21
China vai proibir os sacos de plástico nas principais cidades