Homepage

  • Temos de proteger os recursos em alto mar
    07 agosto 2017
    arrow
    arrow
  • Sem um sistema Internacional que regule esta zona, as águas internacionais vão continuar a ser uma 'zona de Piratas'
  • Metade da superfície marítima do mundo não pertence a ninguém. Infelizmente isso apenas significa que ninguém regula e os recursos nestas áreas não estão sujeitos a qualquer tipo de acordo. Ou que os acordos existentes  – como é o caso do Atlântico norte – são manifestamente insuficientes.  A boa notícia é que pela primeira vez as nações do mundo concordaram, nas Nações Unidas, em estabelecer regras para explorar – ou não – os recursos em alto mar.

    Previsão de ondas para os próximos dias!

    “O mar alto é a maior reserva de biodiversidade do planeta” disse Peter Thomson, embaixador das Fiji e o actual Presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas. “Não podemos continuar a permitir esta existência desregulada se queremos proteger a biodiversidade e proteger a vida marinha”.

    Sem um sistema Internacional que regule esta zona, as águas internacionais vão continuar a ser uma “zona de Piratas” acrescentou ainda.

    Claro que esta vontade choca com uma série de poderes instalados, já que a pesca em mar alto, ou a exploração dos fundos marinhos, são industrias de biliões. Com os suspeitos do costume à cabeça:: Rússia, Japão e China, mas também alguns inesperados como a Noruega.

    A ameaça da mineração subaquática

    Assim, as negociações necessitam de responder a algumas questões essenciais, como refere em análise o jornal The New York Times. Como se vão escolher as áreas protegidas? Que quantidade de oceano será abrangido? Vai ser possível continuar a explorar de alguma maneira essas áreas ou serão zonas proibidas?  E, acima de tudo, quem irá e como será efectuada essa fiscalização?

    Para já sabe-se, pelas evidências científicas, que esta protecção será fundamental para combater o aquecimento global e as alterações climáticas. Para proteger as espécies marítimas – que depois irão migrar para as Zonas Exclusivas dos países,e até as próprias áreas costeiras da subida do nível das águas.

    A discussão devera começar no início de 2018, o sei o da Assembleia Geral das Nações Unidas, onde os 93 estados membros terão a palavra final.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fotos: GreenPeace e JT Fonte: GS

Tags
  • ambiente
  • mineração aquática
  • mineração subaquática
  • deep sea mining
  • Sustentabilidade
  • Natureza
  • mar
  • oceanos
  • praia
  • praias
  • Vida Animal
  • recursos naturais
  • Poluição marinha
  • Destruição
  • Habitat Natural
  • peixes
similar News
similar
julho 29
A Cinderela que quebrou os estigmas do surf (e do desporto) nacional!
julho 28
Em Tóquio'2020, regressou o bom e velho Owen Wright: 'Muitos pensavam que não ia chegar às medalhas'
julho 28
Amuro Tsuzuki, um nome destinado a fazer historia pelo Japão
julho 27
Italo e Carissa conquistam ouro olímpico; Yolanda no 5.º posto
julho 27
Ítalo Ferreira sobre o ouro olímpico: 'É a vitória com maior significado da minha carreira porque fui o primeiro a conseguir'
julho 28
Bianca Buitendag anuncia retirada aos 27 anos, após prata olímpica
julho 29
Liga MEO Surf: Tops dominam cada vez mais as Expression Sessions