Homepage

  • Ainda não acreditam nas alterações climáticas ?
    28 agosto 2017
    arrow
    arrow
  • Um navio russo bateu o recorde de velocidade ao passar pelo Ártico. As alterações climáticas naquela zona do globo possibilitaram a travessia. Os ambientalistas já demonstraram alguma preocupação com o avanço do degelo.
  • O navio Christophe de Margerie realizou, pela primeira vez, a travessia entre a Europa e a Ásia através do Ártico sem ter o apoio do quebra-gelo. Este feito fez com que fosse estabelecido um recorde de velocidade nesta rota, agora mais acessível, tudo por causa do aquecimento global que fragilizou o gelo naquela zona do globo.

    O navio, concebido para transportar gás natural liquefeito, transportou a mercadoria desde a Noruega até à Coreia do Sul em 19 dias, aproximadamente 30% mais rápido que o transporte convencional por aquela rota.
    E foi o primeiro a percorrer a rota do Norte sem ser assistido por uma escolta que remove o gelo do caminho. Nesta viagem, o novo navio usou apenas o quebra-gelo incorporado para passar pelo gelo com mais de um metro de espessura.


    De acordo com o porta-voz da empresa do navio, Bill Spears, a travessia foi “muito rápida, principalmente por não haver uma escolta como aconteceu noutras viagens”. “É muito interessante o navio poder fazer a rota o ano inteiro”, acrescentou Spears.

    Apesar de os ambientalistas terem demonstrado alguma preocupação em relação ao tráfego de embarcações naquela zona do Ártico, Spears realçou que o Christophe de Margerie pode utilizar como combustível o gás que transporta e reduzir as emissões de óxido sulfúrico e de óxido nitroso em 90% e 80%, respectivamente. “Isto é um fator significativo quando falamos deste frágil ecossistema”, disse Spears.

    O tráfego naquela zona sempre existiu, mas muitas vezes era restrito por causa do gelo. Uma rota importantíssima porque é uma alternativa muito mais curta ao trajeto pelo Canal de Suez.

    Simon Boxall, oceanógrafo na Universidade de Southampton, disse que as companhias de transporte marítimo estão a fazer uma “jogada segura” ao construírem navios em antecipação à abertura da rota marítima do norte. “Mesmo que parássemos as emissões de CO2 amanhã, a aceleração na perda do gelo do Ártico não será revertida”, afirmou.

    “A ironia desta situação é que as mudanças climáticas permitirão ao navios usarem menos combustível para atravessarem o Pacífico”, acrescentou Boxall.

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte - RTP

Tags
  • Impacte Ambiental
  • Ambiente
  • Meio Ambiente
  • Christophe de Margerie
  • quebra-gelo
  • Ártico
pub
similar News
similar
outubro 30
Estação Salva-vida de Cascais prestou apoio a 5 surfistas
outubro 30
Aprovado projeto do Ericeira Surf Clube para comemorar o 10º aniversário da Reserva Mundial de Surf
outubro 30
Temperaturas amenas e aumento da nebulosidade no fim de semana
outubro 30
Praia de Melides vai ter um novo passadiço
outubro 30
Mais de 375 kg de lixo recolhidos em ação de limpeza costeira em Sesimbra
outubro 30
Outubro está a acabar e pela primeira vez o Mar de Laptev ainda não congelou
outubro 29
Coral com 500 metros de altura foi descoberto na Grande Barreira
pub