Homepage

  • Ainda não acreditam nas alterações climáticas ?
    28 agosto 2017
    arrow
    arrow
  • Um navio russo bateu o recorde de velocidade ao passar pelo Ártico. As alterações climáticas naquela zona do globo possibilitaram a travessia. Os ambientalistas já demonstraram alguma preocupação com o avanço do degelo.
  • O navio Christophe de Margerie realizou, pela primeira vez, a travessia entre a Europa e a Ásia através do Ártico sem ter o apoio do quebra-gelo. Este feito fez com que fosse estabelecido um recorde de velocidade nesta rota, agora mais acessível, tudo por causa do aquecimento global que fragilizou o gelo naquela zona do globo.

    O navio, concebido para transportar gás natural liquefeito, transportou a mercadoria desde a Noruega até à Coreia do Sul em 19 dias, aproximadamente 30% mais rápido que o transporte convencional por aquela rota.
    E foi o primeiro a percorrer a rota do Norte sem ser assistido por uma escolta que remove o gelo do caminho. Nesta viagem, o novo navio usou apenas o quebra-gelo incorporado para passar pelo gelo com mais de um metro de espessura.


    De acordo com o porta-voz da empresa do navio, Bill Spears, a travessia foi “muito rápida, principalmente por não haver uma escolta como aconteceu noutras viagens”. “É muito interessante o navio poder fazer a rota o ano inteiro”, acrescentou Spears.

    Apesar de os ambientalistas terem demonstrado alguma preocupação em relação ao tráfego de embarcações naquela zona do Ártico, Spears realçou que o Christophe de Margerie pode utilizar como combustível o gás que transporta e reduzir as emissões de óxido sulfúrico e de óxido nitroso em 90% e 80%, respectivamente. “Isto é um fator significativo quando falamos deste frágil ecossistema”, disse Spears.

    O tráfego naquela zona sempre existiu, mas muitas vezes era restrito por causa do gelo. Uma rota importantíssima porque é uma alternativa muito mais curta ao trajeto pelo Canal de Suez.

    Simon Boxall, oceanógrafo na Universidade de Southampton, disse que as companhias de transporte marítimo estão a fazer uma “jogada segura” ao construírem navios em antecipação à abertura da rota marítima do norte. “Mesmo que parássemos as emissões de CO2 amanhã, a aceleração na perda do gelo do Ártico não será revertida”, afirmou.

    “A ironia desta situação é que as mudanças climáticas permitirão ao navios usarem menos combustível para atravessarem o Pacífico”, acrescentou Boxall.

     

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte - RTP

Tags
  • Impacte Ambiental
  • Ambiente
  • Meio Ambiente
  • Christophe de Margerie
  • quebra-gelo
  • Ártico
pub
similar News
similar
setembro 16
Estrelas do shape mundial de visita à Surf Out Portugal
setembro 16
David Raimundo: 'Temos de acreditar que é possível ser medalhado nos Jogos Olímpicos'
setembro 16
ASCC Super Groms 2020 adiado para Outubro
setembro 16
Frederico Morais: 'Espero que este apuramento olímpico impulsione o surf em Portugal'
setembro 13
Bodyboard: Miguel Ferreira e Joana Schenker nos 'quartos' do Sintra Pro
setembro 12
Frederico Morais e Miguel Blanco seguem fortes, Vasco Ribeiro eliminado
setembro 13
Frederico Morais: 'Estou mais perto do apuramento olímpico'