Homepage

  • 69 mortes por afogamento em Portugal este ano
    02 agosto 2017
    arrow
    arrow
  • Número de pessoas que perderam a vítima nas zonas que estão sob jurisdição da AMN este ano ascende a 26.
  • Há sempre notícias que ninguém gosta.

    Sessenta e nove pessoas morreram afogadas em Portugal desde o início do ano, quase todas em zonas não vigiadas, segundo dados do Observatório do Afogamento, da Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores.

    Segundo o Observatório, morreram 69 pessoas afogadas, quase metade no mar e uma em cada quatro em zonas de rio.

    Os restantes afogamentos ocorreram em rios, poços, tanques de rega, piscinas (particulares ou de hotéis), valas e marinas.

    O relatório do primeiro semestre do Observatório do Afogamento regista um total de 62 mortos (mais sete no mês de Julho), quase metade (29 casos) no mar e apenas dois casos foram registados em zonas vigiadas.

    Um em cada quatro casos (16) foram registados em zonas fluviais.

    O maior número de casos ocorreu no distrito do Porto (12), seguido de Faro (11) e Lisboa (nove).

    O mês de Junho foi o que mais mortes por afogamento registou, com 17 casos, seguido de Fevereiro (11), Março e Maio (10) e Janeiro, Abril e Julho (sete casos cada). 

    Na lista das causas determinadas para o afogamento incluem-se pesca lúdica, tentativa de salvamento, arrastamento por correntes (mar e rio), passeio junto ao mar, embriaguez, queda de carro ao rio ou ritual religioso.

    Quase metade dos casos não tem causa determinada.

    O Observatório do Afogamento foi fundado em 2017 pela Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores para "contabilizar as mortes por afogamento em Portugal, de forma a serem criadas estratégias de prevenção".

    A maioria das praias portuguesas iniciou a época balnear durante o mês de Junho, um período que se estende até 15 de Outubro para efeitos da "exploração e funcionamento de concessões de apoio balnear e seus serviços acessórios".

    Contudo, houve locais onde a época balnear arrancou a 1 de Maio, uma vez que compete às câmaras municipais definir a época balnear em cada praia do seu concelho.

    Das 650 áreas balneares, 175 começaram a temporada a 1 de Junho. Foram sobretudo praias do litoral a sul de Lisboa, como são os casos dos concelhos de Almada (que inclui a Costa da Caparica) e quase todos os municípios da costa algarvia, ou a maioria das praias na Região Autónoma da Madeira.

    A maior parte das praias - 246 de norte a sul de Portugal continental e nas regiões autónomas - abriu a 15 de Junho.

    A época balnear começou durante o mês de Maio para 43 praias, sobretudo em Cascais, Oeiras, ambos no distrito de Lisboa, e Albufeira, no distrito de Faro.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, podes usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf!

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fonte: Sábado Foto: Autoridade Marítima Nacional

Tags
  • praias
  • mortes
  • pessoas
  • Afogamento
  • praia
  • amn
  • Autoridade Marítima Nacional
  • perigo
  • Agueiros
similar News
similar
janeiro 26
Avistadas caravelas-portuguesas nas praias de Sines e Odemira
janeiro 26
Se Tóquio não puder, Florida quer organizar os Jogos Olímpicos em 2021
janeiro 26
Depressão Justine vai trazer ondas até 9 metros aos Açores
janeiro 26
Câmara de Cascais sublinha que 'não é possível' praticar surf nas praias
janeiro 25
Fechadas as praias de S. Pedro de Moel
dezembro 30
Ano de 2021 vai começar ainda mais frio
janeiro 25
Estrada na Nova Zelândia encerrada temporariamente para proteger leões-marinhos