Homepage

  • Temos de ajudar as populações da Ria Formosa
    15 março 2017
    arrow
    arrow
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A demolição é o culminar de 13 anos de um processo em tribunal que opunha diversas famílias à Sonae...
  • Diversas habitações na zona norte da Caldeira de Tróia têm os seus dias contados já que serão em breve demolidas, de acordo com o projecto de construção de um eco-resort da Sonae, disponível no site da empresa.

    A demolição é o culminar de 13 anos de um processo em tribunal que opunha diversas famílias, moradoras e utilizadoras das habitações à Sonae, proprietária de diversas infraestruturas de turismo de luxo na península.

    Infelizmente este é só um dos muitos casos que figuram pelo "faroeste", chamemos-lhe assim, algarvio na Ria Formosa, onde os interesses económicos de privados sobrepôem-se sempre à população local, com um estilo e modo de vida secular...

    Fiquem com o vídeo explicativo produzido pelo SOS Ria Formosa:

    Fiquem também com o testemunho de Selma Nunes, em relação a tudo o que se tem passado nos últimos meses nos Ilhéus:

    "Tenho saudades de escrever crónicas com sabor a sal. Com o cheiro da areia meio molhada que apita estridente enquanto torrões semelhantes a açúcar amarelo se formam debaixo dos pés.

    Contudo, nestes últimos tempos, olho a Ria e vejo nela pouca doçura, poucos torrões… e se há sabor a sal, este provém das lágrimas. Lágrimas humanas.

    Frutos de um mar de frustração, desespero e de uma raiva emparedada pronta a saltar a qualquer momento. Ao mínimo sinal de vento. Tenho receio. Não costumo ter medo de escrever, e desta feita, tenho.

    Os pés não estão feridos das simples topadas em conchas. São os corpos todos em ferida de circulação nervosa invisível. É por dentro das pessoas que estão esta dor e ansiedade incalculáveis. Cheira a desânimo e a luta. Àquela calma que dizem anteceder as tempestades.

    E a luta é na areia, por areia. É desigual e suja. Só não receia quem nunca viu esses palcos.

    E mete medo três vezes. Porque a cara da injustiça é mais medonha que os braços armados que, ainda que obrigados, a sustenta. Porque a injustiça se faz proteger pelo braço da justiça. Aquela a que se só se tem acesso nos corredores do dinheiro e do poder.

    E se isto ainda não cheira a cólera e a despotismo, dou a terceira razão: tenho medo do peso das palavras. Porque mais nada tenho que estas palavras e as duas mãos que as escrevem. E não chega, nem ajuda e eu sei. Que fique claro que não se pode cobrar à autora mais do que estas palavras. Escrevo estas em consciência que não bastam.

    Lamento profundamente e sei que nas cabeças, quando estão em desalinho, isso não chega, porque nada chega, na verdade. E temo pelas pessoas, pelas injustiças e pelas palavras. Por isso, escrevo a custo e a medo. Porque é uma avalanche que nos difama a todos, numa bola de neve que vai cegando e injustiçando em teia. É preciso coragem. É preciso manter a clareza de raciocínio."

    Vamos ficar sem fazer nada?

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • S.O.S. Ria Formosa
  • Ria Formosa
  • Faro
  • Algarve
  • Demolições
  • Sonae
  • Ambiente
pub
similar News
similar
abril 03
Liga MEO Surf Super Ranking – Quem foi o melhor surfista da década?
abril 03
Fim de semana será de chuva em todo o país
abril 02
Câmara de Sesimbra interdita acesso às praias do concelho
abril 02
Quarentena afasta curiosos da reprodução das tartarugas-oliva na Índia
abril 03
Não resistiu ver Malibu a quebrar perfeito e… acabou detido
abril 02
Dezenas de tartarugas-de-pente nascem numa praia brasileira deserta
abril 02
Poluição do ar também cai abruptamente na Índia
pub