Homepage

  • Portugal vai monitorizar clima e sismos através do mar
    29 março 2017
    arrow
    arrow
  • Um observatório submarino para testar a tecnologia a usar a sul de Sagres será instalado em águas de menor profundidade
  • A informação foi prestada à Lusa pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que coordena cientificamente a participação portuguesa.

    A rede de observatórios, EMSO (European Multidisciplinary Seafloor and Water-column Observatory - Observatório Europeu Muldisciplinar para o Fundo do Mar e Coluna de Água), junta oito países, incluindo Portugal, e tem sede em Roma, em Itália.

    Notícia: Sines completamente contra a exploração e prospecção de hidrocarbonetos em portugal 

    Portugal participa, numa primeira fase, com um observatório marinho profundo no Golfo de Cádis, ao sul de Sagres, uma zona de interesse sísmico e de confluência de correntes marítimas, do oceano Atlântico e do mar Mediterrâneo.

    Um dos investigadores do IPMA envolvidos no projeto, Pedro Brito, explicou à Lusa que vão ser instalados sensores a entre dois a três mil metros de profundidade, que irão permitir uma observação continuada e prolongada da coluna de água - da superfície ao fundo do mar - e com os quais será possível recolher dados de temperatura, pressão e propriedades da água e da velocidade de correntes, e sobre o solo e a vida subaquáticos.

    Com estes instrumentos, os cientistas poderão monitorizar a atividade sísmica, o clima e os gases com efeito de estufa, a produção de fitoplâncton (algas microscópicas), os mamíferos marinhos e as reservas de pesca, assim como estudar a origem e os limites da vida e a dinâmica dos ecossistemas marinhos.

    Um observatório submarino para testar a tecnologia a usar a sul de Sagres será instalado em águas de menor profundidade, até 200 metros, na zona norte de Portugal continental.

    O projeto português, o EMSO PT, inclui ainda, na primeira fase, a criação de dois laboratórios: um para análise dos dados transmitidos pelos sensores (via satélite) e das amostras de água e sedimentos recolhidas por veículos robotizados, e outro para a manutenção de equipamentos eletrónicos.

    O EMSO PT, que o IPMA espera que possa começar em maio, com um prazo de execução até 2020, está orçado em mais de oito milhões de euros, financiados por fundos nacionais (Fundação para a Ciência e Tecnologia) e europeus (Programa Portugal 2020). Ao todo, estão envolvidas mais de uma dezena de instituições académicas e científicas.

    A participação portuguesa no EMSO traduz-se num segundo núcleo, com o observatório dos Açores, no monte submarino Condor e no campo hidrotermal Lucky Strike, mas que não tem financiamento ainda cabimentado.

    A rede europeia de observatórios abrange locais-chave do mar europeu, englobando os oceanos Ártico e Atlântico e os mares Mediterrâneo e do Norte. Dela fazem parte França, Grécia, Irlanda, Itália, Roménia, Reino Unido e Espanha, além de Portugal.

    O EMSO é uma das componentes submarinas do programa europeu de observação da Terra Copernicus.

    Redes de observatórios do fundo do mar como a europeia existem nos Estados Unidos, no Canadá, na China, no Japão e na Austrália.

    Um dado curioso é o da agência de geologia dos Estados Unidos (USGS) que atribuiu à fraturação hidráulica, uma técnica de extração de gás e petróleo de xisto a que pode vir a ser utilizada já em Abril pela GALP ao longo da Costa Alentejana em Portugal, designada 'fracking', em inglês, ao aumento da atividade sísmica induzida, no país, desde 2009. O Alentejo está por cima de uma falha sísmica e até já são conhecidos alguns dos riscos eminentes em torno desta questão, mas a verdade é que o Governo ignorou a opinião de 42mil portugueses que se opuseram ao furo e avançou de encontro a vontade de 4 pessoas que se manifestaram a favor.

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

    Fotografia: Município de Vila do Bispo

Tags
  • sismos
  • clima
  • mar
  • portugal
  • EMSO
  • ipma
  • Instituto Português do Mar e da Atmosfera
similar News
similar
junho 30
Maya Gabeira é Campeã para o Oceano e a Juventude da UNESCO
junho 30
Projeto 'ReDuna' está em ação na Praia de São João da Caparica
junho 30
Yolanda Hopkins anuncia dois novos patrocinadores num curto espaço de tempo
junho 30
Rock in Rio 2022 gerou mais de 150 kg de borras de café Buondi para aplicar no Parque da Bela Vista
junho 30
Revelados os competidores do Softboard Heroes 2022
junho 29
Núria Maganinho associa-se à 58 Surf
junho 29
Título nacional vai ser discutido por 12 surfistas!