Homepage

  • Menos um México: nunca houve tão pouco gelo nos pólos
    30 março 2017
    arrow
    arrow
  • No hemisfério Sul, onde agora é Verão, o gelo antárctico recuou para a sua mais reduzida extensão para a época...
  • Depois de reportada uma área do tamanho da Índia ter derretido na Antártida, eis que uma extensão de gelo polar dos oceanos Árctico e Antárctico atingiu mínimos recordes a 13 de Fevereiro, perdendo o equivalente a uma área maior do que o México, informou nesta quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.

    O gelo polar totaliza actualmente 16,21 milhões de quilómetros quadrados, menos dois quilómetros quadrados do que a extensão mínima de gelo registada em média, para os dois oceanos, no período 1981-2010.

    A 13 de Fevereiro, o gelo no conjunto dos oceanos Árctico e Antárctico alcançou a sua menor extensão desde que os satélites começaram a transmitir dados, em 1979.

    Segundo cientistas da NASA, o gelo árctico, no hemisfério Norte, atingiu em 7 de Março a sua menor extensão para o Inverno, época propícia para o gelo aumentar e chegar ao seu ponto máximo anual.

    No hemisfério Sul, onde agora é Verão, o gelo antárctico recuou para a sua mais reduzida extensão para a época em 3 de Março.

    Para a NASA, no caso do oceano Antárctico, são dados surpreendentes após décadas de crescimento moderado de gelo.

    “Há uma grande variação anual no gelo dos oceanos Árctico e Antárctico, mas, em geral, até ao ano passado, a tendência no Antárctico era haver mais gelo”, assinalou a investigadora Claire Parkinson, citada em comunicado do Centro Espacial Goddard, da NASA.

    Este Inverno, uma combinação de factores temperaturas mais elevadas do que o normal, ventos desfavoráveis e tempestades travou a expansão da superfície de gelo no Árctico. No oceano Árctico, as temperaturas caem no Outono e no Inverno, com o gelo a crescer e a atingir a sua extensão máxima anual normalmente em Março, depois de um período de recuo, no Verão.

    Ao contrário, na região antárctica, o nível máximo de gelo acontece em Setembro e o mínimo em Fevereiro.

    A extensão máxima de gelo no Árctico fixou-se, em 7 de Março, nos 14,42 milhões de quilómetros quadrados, menos 97 mil quilómetros quadrados face ao anterior recorde mínimo, em 2015, e menos 1,22 milhões de quilómetros quadrados em relação à média registada no período 1981-2010.

    No oceano Antárctico, a mais baixa extensão mínima de gelo situou-se, em 3 de Março, nos 2,11 milhões de quilómetros quadrados, menos 184 mil quilómetros quadrados do que o mínimo registado pelos satélites, em 1997.

    Em portugal, o nosso governo parece estar a querer ignorar toda e qualquer evidência do aquecimento global, ao decidir explorar petróleo e gás na nossa costa, ainda por cima frente a um parque natural. Felizmente as autarquias envolvidas têm-se oposto completamente a esta imposição central. 

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram Fonte: Público

Tags
  • Aquecimento global
  • degelo
  • Alterações climáticas
  • pólo sul
  • pólo norte
  • Planeta Terra
  • verão
similar News
similar
setembro 24
Guilherme Fonseca e Portugal terminam Mundial ISA no 4.º posto
setembro 24
Teresa Bonvalot fora do Mundial ISA por lesão
setembro 24
David Raimundo: 'Portugal tem feito uma prova brilhante a todos os níveis'
setembro 24
João Aranha e a 'meta que está próxima' no Mundial ISA 2022
setembro 22
ISA anuncia datas do Mundial de 2023 em El Salvador
setembro 23
Portugal sofre três baixas mas continua na luta pelo pódio
setembro 23
Trio português garante passagem ao dia final do Mundial ISA