Homepage

  • O Rio Sado precisa da vossa ajuda
    14 fevereiro 2017
    arrow
    arrow
  • A primeira grande ação de impacto nesta comunidade, será a limpeza do porto palafítico da Carrasqueira...
  • No dia 19 de fevereiro está prevista decorrer uma Ação de Sensibilização e Limpeza do Porto Palafítico da Carrasqueira. Esta ação organizada pela Ocean Alive e pela Associação de Pescadores da Carrasqueira tem em vista a participação de cerca de 60 a 100 voluntários, incluindo a comunidade piscatória local, alvo principal da componente de sensibilização. A ação de limpeza incidirá nas margens adjacentes ao porto. A recolha de lixo será seletiva permitindo a reciclagem de plásticos e vidros que de outra forma iriam continuar a contaminar o estuário do Sado.

    A ação prevista faz parte da Campanha de Sensibilização e Limpeza de Praia no estuário do Sado, “Mariscar SEM Lixo” da cooperativa de educação marinha Ocean Alive. A campanha tem como objetivo eliminar o mau hábito dos mariscadores em deixar as embalagem de plástico de sal vazias na maré (que utilizam para capturar o lingueirão e o casulo) e de promover a visão de um estuário do Sado limpo e mantido por todos. Desde o seu início, em Março de 2016, a Ocean Alive organiza todos os meses, ações desta campanha que são realizadas por voluntários. Já participaram 645 voluntários que recolheram 13,5 toneladas de lixo das margens do estuário do Sado e 20425 embalagem de sal vazias, resultantes de décadas da atividade da mariscagem.

    Em 2017, a campanha “Mariscar SEM Lixo” ganha escala.

    Através do patrocínio do Oceanário de Lisboa e da Fundação Oceano Azul, a campanha “Mariscar SEM Lixo” da Ocean Alive tem agora capacidade para reforçar a sua componente de sensibilização e promoção da alteração de comportamentos junto da comunidade piscatória do estuário do Sado. Até aqui, a sensibilização aos mariscadores era feita pelos voluntários da campanha. Em 2016 foram sensibilizados 438 mariscadores. Com este novo apoio a Ocean Alive irá criar uma rede de boas práticas na comunidade piscatória do Sado, através de mulheres pescadoras “Guardiãs do Mar” (http://www.ocean-alive.org/guardias-do-mar) e criar uma rede de stakeholders (como os compradores do lingueirão, os restaurantes, os supermercados que vendem o sal), com vista a implementar soluções e uma consciência comum para o problema do plástico no Oceano, para o qual este mau hábito local contribui.

    A primeira grande ação de impacto nesta comunidade será a limpeza do porto palafítico da Carrasqueira. Numa primeira fase, prevista para o dia 19 de Fevereiro, serão limpas as margens adjacentes ao longo de cerca de 1km. Uma segunda fase será dedicada ao fundo do porto.

    Do que estás à espera? Vem ajudar!

    www.ocean-alive.org | info@ocean-alive.org

    Para alem da co-organização da Associação de Pescadores da Carrasqueira, são parceiros desta ação a CM de Alcácer, a Junta de Freguesia da Comporta e a empresa Ambilital que colocou na semana passada um ecoponto amarelo junto do porto, promovendo a alteração de hábitos. Durante a semana que vem a Ocean Alive irá realizar ações de sensibilização dirigidas á comunidade piscatória e escolar.

    As inscrições fecham até dia 17 de fevereiro e são feitas a partir deste link: https://goo.gl/forms/uZr1ZVVxFcdaIJoO2 , onde também consta o programa.

    Contacto Ocean Alive:

    • oceanalive.info@gmail.com • 917915595 (Raquel Gaspar)

Tags
  • mariscar sem lixo
  • recolha lixo
  • Lixo Marinho
  • Rio Sado
  • Setúbal
  • Ocean Alive
  • ambiente
  • fevereiro
  • Porto Palafítico da Carrasqueira
pub
similar News
similar
janeiro 22
Costa Este americana vai receber nova piscina de ondas
janeiro 22
Inscrições abertas para o fecho do Circuito de Bodyboard do Ericeira Surf Clube
janeiro 22
Kikas recebe homenagem na Gala do Desporto de Cascais
janeiro 21
Potente gás com efeito de estufa está a aumentar na atmosfera
janeiro 21
Portugueses desenvolvem tecnologia para detetar lixo marinho
janeiro 21
Vila Real quer plantar um milhão de árvores em 2020
janeiro 21
China vai proibir os sacos de plástico nas principais cidades