Homepage

  • Ministro diz que exploração de petróleo é normal
    06 fevereiro 2017
    arrow
    arrow
  • Situação está a ficar cada vez mais confusa e menos limpa em praça pública. Alentejanos e Algarvios temem o pior...
  • O ministro do ambiente, João Matos Fernandes, não vê qualquer problema na renovação do contrato com a ENI/Galp para avançarem quando quiserem, até 2019, com um furo para pesquisar petróleo no fundo do mar ao largo da Costa Vicentina.

    Estas declarações foram assumidas em entrevista ao Expresso e vão contra uma linha de raciocínio do estado até agora, ao investir milhões na protecção e promoção do Parque Natural do SW Alentejano e Costa Vicentina e agora hipotecar tudo a troco de... nem nós sabemos.

    "Acho normal que um país procure saber os recursos que tem e não encontro nada de estranho na existência deste furo de pesquisa a 45 quilómetros da costa”, assim responde o suposto ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, questionado pelo Expresso sobre o que pensa da prospeção de petróleo ao largo da Costa Vicentina.

    Este foi um dos temas abordado na entrevista e na qual fala também da central nuclear de Almaraz, do novo modelo de gestão dos parques naturais, das alterações à Reserva Agrícola Nacional, da reforma no sector das águas e de Trump.

    A autorização assinada pelo ex-diretor-geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) a 11 de janeiro de 2017 (dias antes de Miguel Sequeira deixar o cargo) permite ao consórcio ENI/ GALP realizar o furo “Santola1X” para procurar hidrocarbonetos até três mil metros de profundidade no mar, a 45 quilómetros da costa de Aljezur.

    Miguel Sequeira, trabalha agora no GAMA-Gabinete de Investigação de Acidentes Marítimos e da Autoridade para a Meteorologia Aeronáutica. O que pode ser uma vantagem em caso de derrame, pois a pessoa que assinou pode muito provavelmente ser a pessoa responsável por limpar. Dá que pensar.

    Os cidadãos portugueses de todos os lados de portugal e os locais da região Alentejana e Algarvia em particular, opõem-se cada vez mais veemente a esta indústria associada à morte e destruição de vários sistemas de fauna e flora, bem como serem o principal causador do aquecimento global: a exploração de hidrocarbonetos.

    Fotografia: Fotomontagem Beachcam

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • João Pedro Matos Fernandes
  • Ministério do Ambiente
  • ministro ambiente
  • Petróleo
  • Exploração
  • hidrocarbonetos
  • Algarve
  • alentejo
similar News
similar
janeiro 24
Arranca este sábado curso de Treinadores de Nível 1 na Caparica
janeiro 24
Inscrições disponíveis para os primeiros cursos de Treinadores de Surfing Grau I da ASI Portugal em 2022
janeiro 24
Descoberto um dos maiores recifes de coral do mundo no Taiti
janeiro 24
Homem de 57 anos passa 27 horas consecutivas no Pacífico e sobrevive ao tsunami no Tonga
janeiro 23
Documentário sobre o 7º Capítulo Perfeito vai ser transmitido este domingo na TV portuguesa
janeiro 20
Investigação pede fim do 'consumo excessivo' para travar perda da biodiversidade
janeiro 20
Colónia de peixes com 60 milhões de ninhos é descoberta na Antártida