Homepage

  • Plásticos passam a ser os 'principais predadores' dos oceanos
    19 maio 2016
    arrow
    arrow
  • Sob a forma de garrafas, sacos ou tampas, os plásticos são 'os principais predadores dos oceanos', afirmou a Surfrider
  • Sob a forma de garrafas, sacos ou tampas, os plásticos são "os principais predadores dos oceanos", afirmou a Surfrider num relatório detalhando a poluição em cinco locais franceses e espanhóis.

    Com a ajuda de centenas de voluntários, a organização não-governamental levou a cabo em 2015 o primeiro ‘censo’ de resíduos que poluem as praias, a orla costeira e os fundos marinhos, no âmbito de uma iniciativa que visa recolher e analisar os dados à escala europeia.

    Open Your Eyes' - Uma sociedade de plástico

    “Todos os dias, oito milhões de toneladas de lixo acabam no oceano. 80% da poluição que afeta os nossos mares é de origem terrestre e resulta da atividade humana, com repercussões terríveis na biodiversidade e na globalidade do nosso ambiente”, sublinha o presidente da Surfrider Foundation Europe, Gilles Asenjo, em comunicado.

    O plástico constitui “mais de 80%” do lixo na maior parte dos cinco locais analisados, observou a organização.

    Na praia de Burumendi, em Mutriku (Espanha), por exemplo, 96,6% dos resíduos recolhidos são de plástico e de poliestireno, os quais representam 94,5% dos 10.884 resíduos recolhidos na praia de La Barre, em Anglet, nos Pirenéus atlânticos.

    O plástico e o poliestireno também foram encontrados em massa na praia de Porsmilin, em Locmaria-Plouzané, em Finisterra (Espanha), com um peso de 83,3% do total de 2.945 resíduos recolhidos no decorrer das suas quatro campanhas de levantamento de materiais.

    Na praia de Murguita em San Sebastian (Espanha), por outro lado, o plástico e o poliestireno representaram 61% dos materiais recolhidos, dos quais 18% são vidro.

    O vidro predomina, aliás, na praia de Inpernupe, em Zumaia (Espanha), representando quase metade (47,9%), contra o peso de 29,1% do plásticos e poliestireno.

    Além dos materiais de plástico, os voluntários recolheram, nos diferentes locais, cordas, redes, cigarros, embalagens de alimentos, tampas, cápsulas, garrafas de vidro e até mesmo “resíduos sanitários”.

    Para cada local, a Surfrider compilou uma lista dos principais resíduos recolhidos.

    “Nesta altura, são as primeiras indicações que nos dão uma perceção geral das estatísticas europeias”, sublinhou Asenjo, apontando que, da Grã-Bretanha ao País Basco, os resíduos plásticos são claramente os principais predadores do oceano”, porque “levam centenas de anos a desaparecer” ao contrário de outros materiais como a madeira ou o cartão.

    “E quando eles não estão aos nossos pés na praia, estão a ser ingeridos pelos animais marinhos, que sufocam, já para não falar das substâncias tóxicas que libertam, e nas quais nos banhamos, e da sua possível integração no seio da cadeia alimentar”, acrescentou.

    Fotografias: Surfrider Fonte: Observador
Tags
  • Plástico
  • Predadores
  • Oceanos
  • Lixo Marinho
  • Natureza
  • Poluição
  • Poluição marinha
  • Surfrider Foundation
  • Espanha
  • França
  • País Basco
  • Grã Bretanha
pub
similar News
similar
junho 02
Caravanismo ilegal originou 92 autos de contraordenação na Costa Vicentina
junho 02
Stephanie Gilmore apostada em chegar ao oitavo título
junho 02
'Verão no Parque' já chegou a mais 4 espaços do concelho de Cascais
junho 01
“Enfrentámos muitas dificuldades para o surf chegar aos Jogos”
junho 01
Prolongadas as licenças das escolas de surf emitidas pelo Porto de Leixões
junho 01
Polícia Marítima fiscalizou atividade das escolas de surf na Praia de Matosinhos
junho 01
Estrela das balizas recebe ensinamentos de surf de Carlos Muñoz
pub