Homepage

  • Condições difíceis na 1ª etapa do Circuito ASCC Caparica Power 2016
    19 maio 2016
    arrow
    arrow
  • As ondas estiveram com 1m a 1,5m e o vento onshore forte e a chuva dificultaram a tarefa dos surfistas em encontrar ondas com potencial
  • John Junior, Mafalda Lopes, Tomás Ribeiro e Afonso Antunes venceram este domingo a 1ª etapa do Circuito ASCC Caparica Power 2016 sponsored by Almada Forum que se realizou na Praia do Marcelino, Costa de Caparica.

    As ondas estiveram com 1m a 1,5m e o vento onshore forte e a chuva dificultaram a tarefa dos surfistas em encontrar ondas com potencial para fazer boas manobras. A organização da prova ficou a cargo da ASCC (Associação de Surf da Costa de Caparica).

    O actual bicampeão do circuito, John Junior, venceu na categoria Open com o score de 13 pontos em 20 possíveis. Conquistou a vitória na sua última onda que valeu 8,33 pontos em 10 possíveis, a melhor do campeonato destronando João Cardoso da liderança que assim terminou em 2º lugar. Ivo Santos, que nesta etapa regressou à competição e mostrou bom surf terminou em 3º lugar, em jeito de aquecimento para o próximo fim-de-semana em que será wildcard na 2ª etapa da Liga MOCHE que se realiza na Caparica. Hugo Rosendo ficou na 4º posição.

    “Felizmente consegui virar o resultado na minha última onda”, afirmou o vencedor que acabou de chegar de uma surftrip na Indonésia. “O mar estava difícil e quero dar os parabéns a todos os atletas e à organização que tudo fizeram para que pudéssemos dar o nosso melhor. Sempre que estiver cá irei competir neste circuito”, finalizou.

    No Feminino, a actual campeã do circuito, Mafalda Lopes, levou a melhor sobre as suas adversárias e conquistou o 1º lugar do pódio. Beatriz Santos, Matilde Antunes e Mariana Brandão ficaram no 2º, 3º e 4º lugar, respectivamente.

    Nos Sub-18, assistiu-se a uma final renhida que terminou com a vitória de Tomás Ribeiro que reagiu ao domínio inicial de Gonçalo Vieira que ficou na 2ª posição. Os irmãos gémeos Simão e Gaspar Teixeira ocuparam a 3ª e 4ª posição, respectivamente.  

    Nos Sub-14, a vitória sorriu a Afonso Antunes que descobriu algumas esquerdas que lhe permitiram realizar boas manobras. Vasco Claro ficou em 2º, Martim Nunes em 3º e Diogo Lopes em 4º. 

    “Foi um campeonato complicado devido às condições do mar e do tempo”, referiu o presidente da ASCC, Miguel Gomes. “Felizmente conseguimos terminar a etapa e coroar os campeões que era o fundamental. Um agradecimento especial aos nossos patrocinadores que estiveram connosco na praia. Além do surf, a nova geração inaugurou o mini-halfpipe indoor e a diversão esteve ao rubro. A prática do skate poderá servir como um desporto complementar do surf. Estamos a trabalhar para encontrar uma novo espaço para a sede do clube para dar ainda melhores condições aos atletas e concretizar-mos os nossos projectos. Parabéns a todos os competidores”, finalizou.

    Resultados finais:

    Open

    1º John Junior – 13 pontos

    2º João Cardoso – 11,83

    3º Ivo Santos – 9,83

    4º Hugo Rosendo – 5,80

    Feminino

    1º Mafalda Lopes – 6,50 pontos

    2º Beatriz Santos – 3,93

    3º Matilde Antunes – 3,77

    4º Mariana Brandão – 3,50

    Sub-18

    1º Tomás Ribeiro – 9,90 pontos

    2º Gonçalo Vieira – 9,64

    3º Simão Teixeira – 7,77

    4º Gaspar Teixeira – 6,40

    Sub-14

    1º Afonso Antunes – 12,67 pontos

    2º Vasco Claro – 8,00

    3º Martim Nunes – 4,93

    4º Diogo Lopes – 4,33 

    Fotos Gonçalo Silva

Tags
  • Circuito ASCC Caparica Power 2016
  • almada
  • Associação de Surf Costa de Caparica
  • Costa de Caparica
  • Surf
  • Mafalda Lopes
  • john junior
  • Afonso Antunes
  • surf
pub
similar News
similar
agosto 23
Buondi, uma marca com o ADN do surf
agosto 23
Fim de semana quente, mas com ligeira descida da temperatura
agosto 23
FPS lança maior campanha de ação ambiental já feita em Portugal
agosto 23
Maré de algas invade praias do Algarve
agosto 23
Wakeboard e Ski Náutico animam Montargil
agosto 23
Terra tremeu em Setúbal esta manhã
agosto 22
O microplástico já chegou ao Ártico