Homepage

  • Fajãs de São Jorge são Reserva da Biosfera da Unesco
    19 maio 2016
    arrow
    arrow
  • Açores consegue assim elevar para quatro o número das Reservas da Biosfera existentes em Portugal
  • O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou que a candidatura das fajãs da ilha de São Jorge a Reserva da Biosfera da Unesco foi aprovada por "unanimidade e aclamação".

    "É uma excelente notícia para os Açores e, em particular, uma excelente notícia para a ilha de São Jorge. Este foi um trabalho, uma candidatura, em que houve um conjunto de entidades envolvidas, os municípios da ilha de São Jorge, um conjunto de atores locais, o Governo Regional", afirmou Vasco Cordeiro aos jornalistas na Lagoa, ilha de São Miguel.

    Para o chefe do executivo açoriano, o facto de a candidatura ter sido aprovada "por unanimidade e aclamação" é motivo de "grande satisfação".

    "Satisfação pelo mérito e pela qualidade do trabalho que foi feito, mas satisfação, também, pelas oportunidades que agora se abrem de promoção, de certificação -- de certa forma é disso que falamos -, de qualificação das fajãs de São Jorge e da ilha de São Jorge como espaço privilegiado de afirmação da nossa qualidade ambiental", adiantou.

    Questionado como vão agora os Açores potenciar esta classificação, Vasco Cordeiro acrescentou que "tendo em conta o tipo de produto turístico" que o arquipélago promove, este acaba "por ser um fator de grande importância e um valor acrescentado para esse efeito".

    "Coloca desafios e exigências do ponto de vista da própria preservação dessas áreas e do cuidado a ter com essas áreas, mas julgo que o trabalho que tem sido feito é um trabalho que deve continuar, obviamente sempre com um grau de exigência e de aperfeiçoamento que é imprescindível", salientou Vasco Cordeiro.

    O Conselho Internacional de Coordenação do Programa MaB - Man and the Biosphere (O Homem e a Biosfera), da UNESCO, classificou hoje em Lima, no Peru, as fajãs de São Jorge como Reserva da Biosfera, território que passa a integrar a Rede Mundial na sequência da candidatura apresentada pelo Governo dos Açores.

    A ilha de São Jorge e as suas mais de sete dezenas de fajãs -- pequenas planícies junto ao mar que tiveram origem em desabamentos de terras ou lava - constituem um património natural e cultural único no contexto da região e com enorme potencial de projeção no exterior e de geração de riqueza, refere uma nota de imprensa do executivo regional.

    A classificação contempla as "áreas de núcleo, de transição e de tampão, abrangendo toda a ilha de São Jorge e uma área marinha adjacente até três milhas da costa", adianta a mesma nota.

    Este processo foi desencadeado em 2014 pela Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente, através da Direção Regional do Ambiente e incluiu também cerca de meia centena de cartas de apoio de outros países e regiões que possuem este estatuto.

    As Reservas da Biosfera são zonas dos ecossistemas terrestres, costeiros e marinhos reconhecidas internacionalmente e concebidas para responder ao desafio de conciliar a conservação da natureza com a procura de um desenvolvimento económico e social e a manutenção dos valores culturais associados.

    Nos Açores encontram-se agora quatro das Reservas da Biosfera existentes em Portugal: as ilhas do Corvo, Flores e Graciosa e, a partir de hoje, as fajãs de São Jorge.

    Fotografia: Fajã dos Cubres

Tags
  • Açores
  • Biosfera
  • Unesco
  • São Jorge
  • Fajã de São Jorge
  • Corvo
  • Flores
  • Ilha Graciosa
  • Arquipélago
  • Portugal
  • Reservas da Biosfera
  • Mar
  • Natureza
pub
similar News
similar
março 30
Empresários de Cascais lançam iniciativa que pode ajudar as escolas de surf
março 30
COI mantém qualificação de Tóquio’2020 para 2021
março 30
Municípios de Albufeira e Loulé condicionam acesso às praias
março 30
Alex Botelho concede primeira entrevista após acidente na Nazaré
março 30
FPS à caça dos talentos do futuro
março 30
Semana começa chuvosa e fria
março 27
Está a chegar o horário de Verão!