Homepage

  • Cão surfista bate recorde da onda mais longa surfada na pororoca
    19 maio 2016
    arrow
    arrow
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • O bom momento do surf brasileiro tem contagiando inclusivé 'atletas' de quatro patas...
  • O bom momento do surf brasileiro tem contagiando inclusivé 'atletas' de quatro patas.

    O labrador Bono, de cinco anos, que é bicampeão mundial na categoria Tandem a surfar ao lado do seu dono, entrou na semana passada para o Guinness, o livro dos recordes.

    Bono e o seu dono, Ivan Moreira do Rio de Janeiro, encararam a pororoca de Arari, no Maranhão, e bateram o recorde da onda mais longa surfada por um cão, com oito minutos e seis segundos. Os dois percorreram uma distância de 1.700 metros sobre a prancha. Uma comitiva do Guiness vinda de Nova York, esteve no local para homologar o recorde.

    "Ainda me encontro em êxtase, é difícil acreditar que nós conseguimos realizar esse sonho que eu tinha desde que o Bono subiu numa prancha pela primeira vez. Sempre imaginei como seria surfar a onda mais longa do mundo com a presença do meu melhor amigo e finalmente conseguimos realizar esse sonho." Comemorou Ivan, que ensinou Bono a surfar no Arpoador.

    "Surfarmos uma onda por 8 minutos e 6 segundos, percorrendo uma distância de 1700 metros. Estou realmente muito feliz e emocionado com essa conquista." Finalizou.

    Vídeo de apresentação de Bono. Segue o Bono no Instagram aqui.

Tags
  • surf
  • cão
  • cão surfista
  • Bono
  • Pororoca
  • Brasil
  • ivan moreira
pub
similar News
similar
janeiro 23
Surf to Win apresenta equipa oficial para 2020
janeiro 24
Lewis Pugh é o primeiro humano a nadar sob camada de gelo na Antártida
janeiro 24
Gondomar retira das serras 3 toneladas de lixo por semana
janeiro 22
Tempestade Glória provoca ondulação inédita no Mediterrâneo
janeiro 23
Vem aí o Pacto Português para os Plásticos
janeiro 23
O ornitorrinco pode desaparecer devido à ocupação humana
janeiro 24
Austrália enfrenta praga de aranhas mortíferas