Homepage

  • Sineenses em Assembleia Municipal contra o petróleo
    29 dezembro 2016
    arrow
    arrow
  • A Câmara Municipal ainda não tomou uma posição oficial, o que deve acontecer na próxima reunião de Câmara
  • Um grupo de cidadãos em representação do Movimento "Alentejo Litoral pelo Ambiente" ALA, esteve ontem à noite na Assembleia Municipal de Sines, onde explicaram o impacto negativo que tem para a região a exploração de petróleo ao largo da Costa Alentejana.

    Explicaram que esta extracção "trará consequências gravíssimas para o meio marinho e impactos ambientais muito graves para as populações locais". Apelaram também a todos os deputados para que "tomem uma posição sobre o assunto e que não deixem que Sines se torne num local impossível para se viver".

    Os deputados municipais mostraram-se "muito preocupados com esta situação" que é transversal a todas as forças políticas e decidiram reativar a "Comissão do Ambiente" e realizar em Janeiro uma Assembleia Municipal Extraordinária para debater este assunto.

    A Câmara Municipal ainda não tomou uma posição oficial, o que deve acontecer na próxima reunião de Câmara, mas Nuno Mascarenhas, presidente da autarquia, explicou que vai tentar "obter mais informação sobre este assunto", e que está contra "tudo o que venha agravar os problemas ambientais do concelho".

    Recordamos que o Movimento "Alentejo Litoral pelo Ambiente" exige ao governo a rescisão dos contratos de prospecção e exploração de hidrocarbonetos em Portugal, por colocarem em causa a nossa qualidade de vida no presente e no futuro, por comprometerem seriamente as condições de vida e os recursos disponíveis para as gerações vindouras e pelos impactos ambientais graves irreversíveis que provocam".

    De acordo com o que foi publicado pelos Jornal de Negócios a dia 15 de Dezembro de 2016, a GALP quer avançar para o furo de petróleo no mar do Alentejo em 2017, estando prevista uma operação para fazer esse furo a 80km ao largo de Aljezur.

    Segundo o mesmo jornal, o consórcio Eni/Galp quer arrancar com a operação em abril ou maio, logo que as condições meteorológicas e marítimas assim o permitam, esta entidade terá já enviado um parecer positivo para o gabinete do secretário de estado da energia, Jorge Seguro Sanches, que terá a última palavra a dizer sobre o avanço desta exploração que tanta ameaça o turismo, a população e a natureza Alentejana.

    A comunidade surfista está cada vez mais atenta a este assunto, juntem-se em Alentejo Litoral pelo Ambiente

    Fotografia: Praia de São Torpes por Almor Loução

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, basta consultar a nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Alterações climáticas
  • Portugal
  • Sines
  • alentejo
  • Petróleo
  • hidrocarbonetos
  • Poluição
  • derrame
  • galp
  • ALA
  • Alentejo Litoral pelo Ambiente
  • Nuno Mascarenhas
  • Aljezur
  • Jorge Seguro Sanches
  • Natureza
  • Turismo
  • Sustentabilidade
pub
similar News
similar
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 21
Salvamentos aumentaram nas praias portuguesas na época balnear de 2020
outubro 21
Primeira ondulação grande da temporada deverá entrar na Nazaré a partir de domingo
outubro 21
Circuito Regional da Madeira SUP Race arrancou em grande estilo
outubro 21
Bodyboard: Título nacional feminino vai decidir-se na Póvoa de Varzim
outubro 19
Bernardo Jerónimo, o único português a competir no Frontón King, já está na 3ª ronda
outubro 20
Depressão Bárbara: Aviso vermelho alargado a mais 3 distritos do continente
pub