Homepage

  • The Guardian: sol, tecnologia e surf em Lisboa
    31 outubro 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Bernardo Mascarenhas de Lemos
  • Fonte
    redacção
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A propósito da Web Summit o jornal inglês não poupou elogios à capital portuguesa.
  • Há quem diga que Portugal é a Califórnia da Europa não só pela costa, ondas e clima e é sabido que Lisboa pode ser comparada à cidade de São Francisco. Não só pela sua, nossa ponte, como pelas incontornáveis colinas e eléctricos que se passeiam em ambas as cidades. O que o famoso jornal inglês veio dizer, depois de referir a já conhecida comparação, é que Lisboa tem todo o potencial e excelência para se tornar numa capital onde a tecnologia e inovação assumem um papel fundamental, tal como acontece na cidade californiana, São Francisco.

    Tudo começa com a recente conquista do Web Summit que se realizará entre os dias 7 e 10 de Novembro. Para já o evento vai permanecer na capital até 2019, com uma forte possibilidade de se estender por mais dois anos. 

    A Web Summit é vista como o melhor e maior evento de tecnologia e empreendedorismo da Europa, uma espécie de festival para geeks e nerds que contará com oradores bem cool, como o jogador de futebol Ronaldinho ou o criador da aplicação Tinder. Com ou sem geeks, a Web Summit também trará lucro à capital portuguesa, estima-se 200 milhões nos três dias e a visita de mais de 50 mil pessoas juntando-se a tudo isto a possibilidade de promover ainda mais uma capital em grande expansão.

    As startups, geralmente formadas por jovens cheios de energia e vontade de vingar, procuram agora o seu refugio na cidade de Lisboa. É que a qualidade  e custo de vida é excelente, sobretudo quando comparada a capitais da "moda" como Berlim ou Londres.

    O artigo do jornal internacional destaca alguns exemplos de jovens que mudaram a sede das suas empresas e startups para Lisboa e todos falam no clima, na simpatia dos portugueses e seus conhecimento de inglês, na gastronomia e, é claro, nas belissimas prais e ondas. Sim é que para além destes pontos, em Portugal pode surfar-se de norte a sul do país e temos sol mais de metade do ano, coisas que, cada vez mais, são apreciadas pelos jovens europeus e de todo o mundo. Quem não quer fazer surf? Quem não quer ter a possibilidade de montar um negócio num sitio que lhe permita ir apanhar umas ondas ao fim do dia? Todos querem e é por isso que há cada vez mais jovens a estabelcerem os seus negócios e ideias em Portugal, sobretudo em Lisboa. 

    São Francisco é uma cidade altamente à frente, cheia de vida e de jovens prontos a contribuir para o seu dinamismo mas a verdade é que Lisboa poderá, facilmente, igualar-se à cidade americana pelo constante interesse internacional em investir na capital.

    A web summit é assim uma grande conquista e uma enorme demonstração do potencial de Lisboa no panorama global. 

    Se tiver interesse pode ler o artigo do The Guardian na integra, aqui. 

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • web summit
  • portugal
  • lisboa
  • the guardian
  • Fotografia
    Bernardo Mascarenhas de Lemos
  • Fonte
    redacção
similar News
similar
janeiro 26
Avistadas caravelas-portuguesas nas praias de Sines e Odemira
janeiro 26
Se Tóquio não puder, Florida quer organizar os Jogos Olímpicos em 2021
janeiro 26
Depressão Justine vai trazer ondas até 9 metros aos Açores
janeiro 26
Câmara de Cascais sublinha que 'não é possível' praticar surf nas praias
janeiro 25
Fechadas as praias de S. Pedro de Moel
dezembro 30
Ano de 2021 vai começar ainda mais frio
janeiro 25
Estrada na Nova Zelândia encerrada temporariamente para proteger leões-marinhos