Homepage

  • Seleção portuguesa reduzida a três elementos
    24 setembro 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    ISA | Evans
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A maior surpresa do dia foi sem dúvida a eliminação do brasileiro Samuel Pupo, na categoria masculina de sub-16.
  • O mar desceu e tornou-se mais acessível esta sexta-feira, no sétimo dia de prova do Vissla ISA World Junior Championship 2016. Com ondas de 1m a 1,5m, as seleções ainda em prova voltaram à disputa pela passagem às fases mais avançadas e eventuais medalhas correspondentes.
     
    A equipa australiana manteve-se muito coesa e continua na liderança da tabela, com a francesa igualmente em segundo lugar, mas muito próxima, à espera do primeiro deslize dos principais rivais. Logo atrás, em terceiro lugar, vem a seleção havaiana, que conta com alguns dos surfistas mais espetaculares em prova. Em disputa direta pelo quarto lugar estão neste momento o Japão e o Brasil, com os nipónicos a levarem vantagem.
     
    A grande surpresa, pela negativa, tem sido a equipa dos Estados Unidos, campeã em título, que desceu para a sétima posição, atrás do Tahiti. Portugal melhorou ligeiramente, encontrando-se neste momento em 12º lugar, mas em boa posição de melhorar.
     
    Entre os surfistas que hoje competiram, destaque para a norte-americana Caroline Marks, que conseguiu uma pontuação de 17,84 pontos em 20 possíveis e assumiu-se como grande candidata à medalha de ouro individual, na categoria sub-16 feminina. Caroline tem sido o grande destaque da seleção americana, numa equipa que tem perdido atletas diariamente.
     
    Nesta categoria, destaque ainda para as havaianas Zoe McDougal e Summer Macedo (campeã mundial em título), para a japonesa Minami Nonaka, para a neo-zelandesa Elin Tawharu, para a australiana India Robinson, para a argentina Catalina Mercere e para a portuguesa Mafalda Lopes, todas vencedoras das suas baterias e já asseguradas nos quartos de final.
     
    Em sub-18 feminino, destaque para a havaiana Brisa Hennessy, para a francesa Juliette Brice, para a espanhola Ariane Ochoa e para as costa-riquenhas Leilani McGonagle e Emily Gussoni, que fizeram os melhores scores do dia. A portuguesa Mariana Garcia também venceu a sua bateria, apurando-se para os quartos de final, numa categoria onde a nossa seleção perdeu hoje Inês Bispo. Inês não conseguiu avançar, terminando a prova a par de outra das grandes surpresas do dia – a havaiana Mahina Maeda, ex-campeã mundial Pro Junior, que também acabou eliminada desta prova.
     
    Mas a maior surpresa do dia foi sem dúvida a eliminação do brasileiro Samuel Pupo, na categoria masculina de sub-16. Um dos maiores candidatos à medalha de ouro individual e irmão do top mundial Miguel Pupo, viu-lhe ser assinalada uma interferência, o que acabou por lhe retirar a pontuação da sua segunda melhor onda. Não fosse esta situação fora do comum, Pupo teria feito a melhor pontuação da prova até agora, acima dos 19 pontos em 20 possíveis, graças a duas ondas na casa dos 9 pontos, cortesia de dois aéreos de assinalável grau de dificuldade.
     
    Na bateria mais disputada do dia, destacaram-se o costa-riquenho Malakai Martinez e o francês Marco Mignot, que avançaram para a fase seguinte, a par de surfistas como o japonês Yuji Mori, o neo-zelandês Kehu Butler, o americano Eithan Osborne, o francês Thomas Debierre, o havaiano Fin McGill ou o português Guilherme Ribeiro, que voltou a mostrar muita consistência.
     
    “Correu bem novamente, pois conseguiu mostrar o meu surf, escolher ondas boas e não ceder à pressão! Apesar de já termos perdido alguns atletas, o espírito de equipa continua bem alto, com os meus colegas a apoiarem-me sempre que vou para dentro de água. Espero continuar em prova e alcançar a final, no Domingo”, afirmou o jovem campeão nacional, de apenas 14 anos.
     
    Após a competição habitual, hoje realizaram-se também as meias-finais da Aloha Cup, uma prova dentro desta prova, onde o espírito de equipa é evidente. As oito melhores equipas do ranking mundial juntam cinco elementos da sua seleção (quatro rapazes e uma rapariga) e, partindo de um espaço próprio, na areia, arrancam um a um para dentro de água, fazem duas ondas cada e regressam posteriormente ao espaço da sua equipa, numa espécie de estafeta.
     
    A seleção nacional participou, mas não conseguiu avançar, bem como as equipas da África do Sul, Estados Unidos e Austrália. A final da Aloha Cup será disputada amanhã, entre as equipas de França, Japão, Hawaii e Costa Rica. O penúltimo dia do Vissla ISA World Junior Championship 2016 inicia-se amanhã, a partir das 9h.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Açores
  • Mundial Junior ISA
  • Fotografia
    ISA | Evans
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
pub
similar News
similar
julho 15
Portugal defende título europeu em Santa Cruz
julho 17
Santa Cruz no radar do Nacional de Bodysurf
julho 17
Portugueses convidados para prova de ondas grandes no Brasil
julho 17
Gregos querem punir turistas que apedrejaram peixe-espada
julho 17
Alforreca gigante avistada por mergulhadora
julho 17
Liga MEO Surf no top dos eventos mais reputados em Portugal
julho 17
Mais de 30 tartarugas encontradas mortas em praias no Brasil