Homepage

  • Red Bull Cliff Diving a caminho de Gales
    07 setembro 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Rutger Pauw | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Relativamente à última etapa, disputada recentemente no mar Adriático, a principal diferença – para além da paisagem – reside no facto da água ser doce.
  • Deixando para trás o Sul da Europa, o Red Bull Cliff Diving World Series viaja no próximo fim-de- semana até às paisagens intocadas da Lagoa Azul – no regresso da competição ao País de Gales. Depois de uma prestação dececionante em Itália, o Campeão Gary Hunt beneficia do apoio do seu público. Em femininos é altura de saber se a armada norte-americana vai conseguir dar resposta à investida de uma nova geração de saltadoras.

    Rumando ao hemisfério norte pela segunda vez este ano, depois da passagem pela Dinamarca em junho último, o Red Bull Cliff Diving World Series 2016 regressa no próximo fim-de- semana aos cenários de pura natureza (11 de setembro). O destino é já conhecido pela maior parte dos participantes no circuito mundial - a Lagoa Azul de Pembrokeshire, no País de Gales (Reino Unido).

    Relativamente à última etapa, disputada recentemente no mar Adriático, a principal diferença – para além da paisagem – reside no facto da água ser doce, proporcionando uma entrada mais suave após a queda de 27 metros (homens) e 20 metros (senhoras).

    Formando um autêntico anfiteatro, esta localização é atualmente uma reserva natural, recebendo a sexta etapa do ano da competição masculina e a quarta feminina. Do ponto de vista desportivo, é esperado um especial foco na prestação do Pentacampeão Gary Hunt. O britânico que tem dominado a cena dos saltos para a água de grande altura nos últimos anos – com 47 presenças no pódio, nas 55 etapas disputadas até hoje – enfrenta agora uma pressão adicional, depois do resultado dececionante alcançado em Itália há cerca de uma semana: em Polignano a Mare Hunt não chegou sequer à final e fechou a sua prestação com um modesto décimo lugar.

    Enquanto que para os homens a Lagoa Azul não é uma novidade (pertenceu ao circuito mundial em 2012 e 2013), o mesmo já não se pode dizer das senhoras – para quem esta será uma estreia absoluta. A grande sensação da temporada é a “wildcard” australiana Rhiannan Iffland, vencedora das duas primeiras etapas. Em conjunto com a canadiana Lysanne Richard e a sua compatriota Helena Merten contestou o habitual domínio das saltadoras norte-americanas, para quem Gales é uma oportunidade de ouro para manter viva a luta pelo título.

    A etapa será transmitida em direto para todo o mundo na Red Bull TV (www.redbull.tv), no dia 11 de setembro, a partir das 14:50 horas (em Portugal Continental), com acesso gratuito através das mais diversas plataformas e em www.redbullcliffdiving.com.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Red Bull Cliff Diving
  • Fotografia
    Rutger Pauw | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
similar News
similar
fevereiro 02
Tempo frio ainda deixa três distritos sob aviso amarelo
fevereiro 02
Praia da Empa coroou vencedores do Science Ericeira 2022
fevereiro 01
FUEL TV assegura transmissão do Winter Dew Tour 2023 à escala global
fevereiro 01
Campeonato Nacional de Surf da Ucrânia vai ser realizado em Portugal
fevereiro 01
Surf nacional lamenta perda de Pedro Lacerda
janeiro 31
Surf adaptado mantém bem vivo sonho da inclusão nos Jogos Paralímpicos de Los Angeles'2028
fevereiro 01
Índia vai estrear-se no Mundial ISA e já sonha com Paris’2024