Homepage

  • Red Bull Cliff Diving a caminho de Gales
    07 setembro 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Rutger Pauw | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Relativamente à última etapa, disputada recentemente no mar Adriático, a principal diferença – para além da paisagem – reside no facto da água ser doce.
  • Deixando para trás o Sul da Europa, o Red Bull Cliff Diving World Series viaja no próximo fim-de- semana até às paisagens intocadas da Lagoa Azul – no regresso da competição ao País de Gales. Depois de uma prestação dececionante em Itália, o Campeão Gary Hunt beneficia do apoio do seu público. Em femininos é altura de saber se a armada norte-americana vai conseguir dar resposta à investida de uma nova geração de saltadoras.

    Rumando ao hemisfério norte pela segunda vez este ano, depois da passagem pela Dinamarca em junho último, o Red Bull Cliff Diving World Series 2016 regressa no próximo fim-de- semana aos cenários de pura natureza (11 de setembro). O destino é já conhecido pela maior parte dos participantes no circuito mundial - a Lagoa Azul de Pembrokeshire, no País de Gales (Reino Unido).

    Relativamente à última etapa, disputada recentemente no mar Adriático, a principal diferença – para além da paisagem – reside no facto da água ser doce, proporcionando uma entrada mais suave após a queda de 27 metros (homens) e 20 metros (senhoras).

    Formando um autêntico anfiteatro, esta localização é atualmente uma reserva natural, recebendo a sexta etapa do ano da competição masculina e a quarta feminina. Do ponto de vista desportivo, é esperado um especial foco na prestação do Pentacampeão Gary Hunt. O britânico que tem dominado a cena dos saltos para a água de grande altura nos últimos anos – com 47 presenças no pódio, nas 55 etapas disputadas até hoje – enfrenta agora uma pressão adicional, depois do resultado dececionante alcançado em Itália há cerca de uma semana: em Polignano a Mare Hunt não chegou sequer à final e fechou a sua prestação com um modesto décimo lugar.

    Enquanto que para os homens a Lagoa Azul não é uma novidade (pertenceu ao circuito mundial em 2012 e 2013), o mesmo já não se pode dizer das senhoras – para quem esta será uma estreia absoluta. A grande sensação da temporada é a “wildcard” australiana Rhiannan Iffland, vencedora das duas primeiras etapas. Em conjunto com a canadiana Lysanne Richard e a sua compatriota Helena Merten contestou o habitual domínio das saltadoras norte-americanas, para quem Gales é uma oportunidade de ouro para manter viva a luta pelo título.

    A etapa será transmitida em direto para todo o mundo na Red Bull TV (www.redbull.tv), no dia 11 de setembro, a partir das 14:50 horas (em Portugal Continental), com acesso gratuito através das mais diversas plataformas e em www.redbullcliffdiving.com.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Red Bull Cliff Diving
  • Fotografia
    Rutger Pauw | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
pub
similar News
similar
outubro 21
Costa da Morte, na Galiza, quer ser Reserva Mundial de Surf
outubro 23
A hora vai mudar: relógios atrasam 60 minutos na madrugada de domingo
outubro 24
Guincho recebe etapa única do Nacional de Bodysurf
outubro 24
Do susto ao título: Joana Schenker é heptacampeã nacional de bodyboard
outubro 23
Fim de semana chega com sábado soalheiro e chuva no domingo
outubro 23
Três surfistas resgatados na Praia da Barra
outubro 23
Câmara de Viana do Castelo cria Linha SOS para ocorrências com animais selvagens
pub