Homepage

  • Michal Navratil estreia-se a vencer em Gales
    12 setembro 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Dean Treml | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A competição prossegue no dia 24 de setembro com o regresso à mítica ponte de Mostar, na Bósnia e Herzegóvina.
  • Famoso pelo seu salto de homenagem ao Super Homem, o checo Michal Navratil atingiu no último fim-de- semana o ponto alto da sua carreira, com a primeira vitória numa etapa do Red Bull Cliff Diving World Series. Já Gary Hunt acabou por não reinar no País de Gales, mas reforçou a sua liderança. Em femininos a armada norte-americana continua sem resposta à irreverência da estreante Rhiannan Iffland, que é cada vez mais candidata ao título. Condições climatéricas adversas condicionaram a competição.

    Foi um regresso atribulado aos cenários de natureza, com a sexta etapa do Red Bull Cliff Diving World Series a viajar no último fim-de- semana (10 e 11 de setembro) até à Lagoa Azul de Pembrojeshire, no País de Gales (Reino Unido). Pela primeira vez na história do circuito mundial a competição foi concentrada em apenas um dia, devido aos ventos fortes. Uma conjuntura que exigiu um esforço adicional aos melhores atletas do planeta, favorecendo os detentores de maior experiência.

    Com cerca de 2800 espectadores presentes neste verdadeiro coliseu natural, a estrela da jornada foi sem dúvida Michal Navratil. Aos 31 anos e depois de oito temporadas no circuito mundial conseguiu finalmente chegar ao lugar mais alto do pódio, frustrando as intensões de uma vitória caseira de Gary Hunt. Conhecido entre os seus pares como o “Supratil”, uma alusão ao salto em homenagem ao Super Homem que se transformou na sua imagem de marca, o atleta da República Checa regressou da melhor forma ao ativo depois de uma lesão ao joelho o ter impedido de estar presente na última etapa, em Itália. Uma prestação que o próprio ainda tem dificuldade em justificar;

    “Vencer era a última coisa que eu esperava, sobretudo porque saí recentemente de uma cirurgia que me impediu de treinar cerca de um mês. A verdade é que me senti muito bem, sem dores no joelho. Dei o meu melhor e bati o Campeão!”.

    Em masculinos o pódio ficou completo com o britânico Gary Hunt – que ainda assim reforça a sua liderança no ranking final e está cada vez mais próximo do sexto título – e com o norte-americano Andy Jones.

    Em femininos a lógica que apontava para um certo favoritismo dos atletas mais experientes, dadas as condições climatéricas instáveis, acabou por não se aplicar. A vencedora foi uma vez mais a “wildcard” australiana Rhiannan Iffland, vencedora das duas primeiras etapas do circuito; “Penso que o meu segredo reside no facto de conseguir não stressar perante as adversidades. Tento relaxar e dar o meu melhor, tal como faço nos treinos. É uma fórmula que está a funcionar”. A canadiana Lysanne Richard ficou com a prata, deixando o bronze para a norte-americana Cesilie Carlton.

    A competição prossegue no dia 24 de setembro com o regresso à mítica ponte de Mostar, na Bósnia e Herzegóvina.

    Todas as etapas do Red Bull Cliff Diving World Series são transmitidas em direto para todo o mundo na Red Bull TV em www.redbull.tv e em www.redbullcliffdiving.com, com acesso gratuito e permanente (todas as etapas - sistema VOD) através das mais diversas plataformas.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Red Bull Cliff Diving
  • Fotografia
    Dean Treml | Red Bull Content Pool
  • Fonte
    Comunicado de Imprensa
pub
similar News
similar
janeiro 23
Surf to Win apresenta equipa oficial para 2020
janeiro 24
Lewis Pugh é o primeiro humano a nadar sob camada de gelo na Antártida
janeiro 24
Gondomar retira das serras 3 toneladas de lixo por semana
janeiro 22
Tempestade Glória provoca ondulação inédita no Mediterrâneo
janeiro 23
Vem aí o Pacto Português para os Plásticos
janeiro 23
O ornitorrinco pode desaparecer devido à ocupação humana
janeiro 24
Austrália enfrenta praga de aranhas mortíferas