Homepage

  • PLP lança petição contra o petróleo
    22 agosto 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    PLP
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • A petição foi lançada no arquipélago das Berlengas e apela ao cancelamento dos contratos de prospeção e produção de petróleo em Portugal
  • A luta contra a prospeção e produção de petróleo em Portugal continua ativa e, agora, é a vez do movimento Peniche Livre de Petróleo, lançar uma petição contra este tipo de atividade na Bacia de Peniche e também na Bacia Lusitânica.

    A petição foi lançada no arquipélago das Berlengas e apela ao cancelamento dos contratos de prospeção e produção de petróleo na Bacia de Peniche e na Bacia Lusitânica. A petição enumera cinco considerações fundamentais contra este tipo de atividade na nossa costa.

    A petição online pode ser assinada aqui.

    Petição pelo cancelamento dos contratos de prospeção e produção de petróleo na Bacia de Peniche e na Bacia Lusitânica:


    “Exmo. Sr. Presidente da Assembleia da República, 

    os signatários desta petição solicitam à Assembleia da República, enquanto órgão constitucional representativo dos cidadãos portugueses, que desencadeie as ações necessárias para cancelar os contratos de Prospeção, Pesquisa, Desenvolvimento e Produção de Petróleo e suspender os trabalhos em curso na Bacia de Peniche e na Bacia Lusitânica, no mar e em terra, localizadas ao longo de toda a faixa litoral, entre Lisboa e Porto. 

    Os signatários desta petição consideram que: 

    - Os riscos ambientais e socioeconómicos desta atividade são muito elevados, como demonstraram os acidentes que ocorreram no Golfo do México e em Michigan, em 2010, entre muitos outros. Desconhecem-se quaisquer estudos de impacto ambiental que suportem os trabalhos em curso e contratualizados, apesar da proximidade de áreas de elevado valor ecológico, como a reserva natural das Berlengas, que é Reserva Mundial da Bioesfera da UNESCO. 

    - Os contratos foram negociados e assinados sem consulta pública, num processo pouco transparente. Não se perguntou aos pescadores se queriam ter plataformas onde habitualmente pescam, não se perguntou aos agricultores se queriam ter campos de fracking no lugar dos seus pomares, não se perguntou a quem cá vive, aos surfistas, aos banhistas, a toda a atividade hoteleira, de restauração e turística, se aceitam os riscos desta indústria; 

    - Dado que o combate às alterações climáticas exige que 80% das atuais reservas de energia fóssil se mantenham no subsolo, os territórios sem historial petrolífero devem manter-se intocáveis, preservando recursos; 

    - Portugal deve dar total prioridade à produção de energias renováveis, pois pelos seus recursos endógenos é um dos países europeus com maior potencial; 

    - Além dos riscos sociais e ambientais que nos fazem temer pelo nosso futuro, os contratos em causa têm contrapartidas financeiras insignificantes para o Estado português.”

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Peniche Livre de Petróleo
  • Petroleo
  • petição
  • portugal
  • Exploração de Petróleo
  • ambiente
  • praias
  • surf
  • Fotografia
    PLP
  • Fonte
    Redação
similar News
similar
janeiro 27
Turistas surpreendidos com salto de golfinho na Madeira
janeiro 27
John John Florence, o dono e senhor da temporada havaiana no real e no... digital
janeiro 27
Justine Dupont, da estreia no tow-in em Jaws ao tubo XXL numa só sessão
janeiro 27
A temperatura caiu a pique e voltou a nevar no Saara
janeiro 27
Era uma vez… Big Kahuna! E já lá vão quase 10 anos…
janeiro 26
Avistadas caravelas-portuguesas nas praias de Sines e Odemira
janeiro 26
Câmara de Cascais sublinha que 'não é possível' praticar surf nas praias