Homepage

  • Oeste australiano vai ter piscina de ondas
    26 agosto 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    URBNSURF
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Depois de Sydney e Melbourne, os surfistas aussies irão ter no futuro outra onda artificial em Perth. Curiosamente, a West OZ é reconhecida como a região com as ondas mais pesadas e com maior qualidade do país.
  • Elas estão a crescer como cogumelos e Perth, no Oeste australiano, vai ser a próxima cidade a contar com uma piscina de ondas. O anúncio foi feito esta sexta-feira, pela URBNSURF, empresa que trabalha diretamente com a Wavegarden.  

    Este será o terceiro parque do género previsto para a Austrália e deverá abrir ao público em 2018. O projeto tem um orçamento de 25 milhões de dólares. Para além de uma piscina de ondas, deverá incluir ainda cafés, rooftop, clube de praia e muitas outras atividades para atrair os visitantes.

    Depois de Sydney e Melbourne, os surfistas aussies irão ter no futuro outra onda artificial em Perth. Curiosamente, a West OZ é reconhecida como a região com as ondas mais pesadas e com maior qualidade do país. Seria mesmo preciso mais esta onda artificial?

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Tags
  • Wavegarden
  • West Oz
  • Perth
  • Fotografia
    URBNSURF
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
janeiro 22
Costa Este americana vai receber nova piscina de ondas
janeiro 22
Inscrições abertas para o fecho do Circuito de Bodyboard do Ericeira Surf Clube
janeiro 22
Kikas recebe homenagem na Gala do Desporto de Cascais
janeiro 21
Potente gás com efeito de estufa está a aumentar na atmosfera
janeiro 21
Portugueses desenvolvem tecnologia para detetar lixo marinho
janeiro 21
Vila Real quer plantar um milhão de árvores em 2020
janeiro 21
China vai proibir os sacos de plástico nas principais cidades