Homepage

  • Falta de vigilância deixa praias sem bandeira azul
    03 agosto 2016
    arrow
    arrow
  • Fotografia
    Bandeira Azul
  • Fonte
    Redação
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • De acordo com os dados divulgados pela ABAE, não foram hasteadas as bandeiras em sete praias da região do Tejo, seis no Alentejo, duas no Algarve e uma nos Açores.
  • De um total de 314 praias e 17 marinas que mereceram o galardão de bandeira azul, apenas 298 das praias e todas as marinas hastearam a mesma bandeira. Os dados foram revelados esta terça-feira pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e mostram que, até 29 de julho, 16 praias não tinham a bandeira azul hasteada.

    De acordo com os dados divulgados, não foram hasteadas as bandeiras em sete praias da região do Tejo, no concelho de Cascais (Avencas, Carcavelos, Guincho, Moitas, Parede, São Pedro Estoril, Tamariz), seis no Alentejo (Aberta Nova, Atlântica, Carvalhal, Comporta, Pego, Ilha do Pessegueiro), duas no Algarve (Beliche, Culatra Mar) e a de Furna de Santo António, nos Açores.

    Embora algumas destas praias não tenham hasteado as bandeiras por opção do município, seis das praias não o fizeram por incumprimento das regras obrigatórias relativas à assistência a banhistas, afirmou a ABAE. A falta de vigilância/nadadores-salvadores esteve assim na origem da ausência de bandeira nestas praias.

    Segundo apurou a ABAE, as praias de Cascais não hastearam a bandeira azul por opção do município, enquanto as do Alentejo, todas no município de Grândola, não hastearam a bandeira por falta de condições de conformidade do serviço de assistência a banhistas. Exceção feita à praia Atlântica, que não hasteou a bandeira por não ter reunido as condições de requalificação dos acessos e serviços.

    No Algarve, a praia de Beliche não hasteou a bandeira azul por não reunir todos os serviços e equipamentos obrigatórios e a de Culatra Mar não içou a bandeira por não estarem concluídas as intervenções de requalificação da praia, nomeadamente o enchimento do areal. Já a de Santo António, nos Açores, não hasteou bandeira por falta de cumprimento das condições de assistência a banhistas.

    Houve ainda o registo de 69 ocorrências relacionadas com a Bandeira Azul, entre 1 e 22 de julho, e mais 22 ocorrências na última semana de julho. A ABAE exemplificou que nas praias do Areal Sul, na Lourinhã, e em Moledo, Caminha, as bandeiras foram furtadas, pelo que esteve momentaneamente arreada no caso da Lourinhã, enquanto em Caminha deverá ser reposta brevemente.

    Por fim, a qualidade da água levou ainda ao arreamento temporário de bandeiras em diversas regiões, especificamente em três praias da Madeira, duas no Norte, duas no Algarve e uma no Centro do país. A praia de Porto Pim, na Ilha da Horta, nos Açores, teve a bandeira azul arriada temporariamente dois dias devido à ausência de nadador-salvador, por não estar assegurado neste período o serviço de assistência a banhistas, explicou a associação.

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

     

Tags
  • Praias
  • Bandeira Azul
  • Fotografia
    Bandeira Azul
  • Fonte
    Redação
pub
similar News
similar
dezembro 12
'Os oceanos devem ter a relevância merecida' nas resoluções da Cimeira do Clima
dezembro 12
Paris’2024 escolhe Taiti como palco da prova de surf
dezembro 12
Aviso laranja para 6 distritos devido à agitação marítima
dezembro 12
Ex-tops mundiais apoiam Lacanau para ser palco olímpico     
dezembro 11
Gronelândia perde gelo a ritmo galopante em comparação com anos 90
dezembro 11
Sydney coberta por nuvem de fumo tóxico
dezembro 11
Mau tempo colocará 12 distritos sob aviso amarelo