Homepage

  • Tubarão faz vítima nas Canárias
    19 maio 2016
    arrow
    arrow
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Algo de muito raro aconteceu nas Ilhas Canárias; mulher de 38 anos escapou com ferimentos ligeiros.
  • Uma turista espanhola de 38 anos, foi atacada por um tubarão na praia de Arinaga, em Aguimes, nas Ilhas Canárias (Espanha), quando aproveitava o dia de Natal com sua família.

    A mordida do animal deixou marcas no braço esquerdo da espanhola, que conseguiu desenvencilhar-se do predador e nadar até a areia. "Hoje tive um encontro cara a cara com um tubarão. Coisas que acontecem quando se nada nas Canárias em dezembro", escreveu Cristina no Twitter ao publicar fotos do ferimento.

    Apesar da queixa da turista, segundo especialistas, ataques do tipo são bastante raros no arquipélago. "Duvido que algo semelhante ocorra nos próximos 50 anos. As pessoas não precisam ficar com medo", afirmou o presidente da entidade Canary Islands Shark Alliance, Fernando Frias, que estimula a preservação de tubarões na região, de acordo com o Telegraphp>Para as autoridades, a turista teria sido atacada por uma espécie de tubarão conhecida como silky (Carcharhinus falciformis), que pode chegar a quase 2,5 metros de comprimento.

    A vítima, que mora em Madrid, foi atendida em um hospital próximo ao local e não corre riscos.

     

Tags
  • tubarao
  • ataque
  • Espanha
  • Canarias
  • Surf
  • turista
similar News
similar
setembro 22
Onda californiana de San Miguel a salvo de possível extinção
setembro 22
Há uma nova onda na Indonésia: é gerada por um navio encalhado e repete história do século XX
setembro 20
Kanoa Igarashi, de vice-campeão mundial ISA à prata olímpica em casa
setembro 22
Abriram as inscrições para o Campeonato Nacional de Surf Esperanças Sub-14
setembro 22
Exposição Viva celebra 1ª edição do Programa Atlantis no Dia Nacional da Água
setembro 21
Época balnear em Espinho prolongada até 26 de setembro
setembro 22
Nível do mar continua a subir a um ritmo alarmante