Homepage

  • Volta ao mundo em sete anos
    12 abril 2017
    arrow
    arrow
Tags
powered by
  • Meo
  • Mercedes
  • Buondi
Segue-nos nas redes
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Mercedes-Benz LA 911 atravessando cinco continentes.
  • “Agora ou nunca!"
    Há Cerca de dez anos, dois jovens da região de Oberpfalz da Baviera decidiram: "Queremos ver o mundo!" Sabine Hoppe, formada em uma academia de arte, e Thomas Rahn, arquiteto e cientista da floresta, ambos com cerca de 20 anos, disseram um ao outro: - Agora ou nunca!

    A ideia cresceu em um plano, o plano cresceu em uma viagem mundial. Começou em 2009, levou-os através de cinco continentes e terminou em 2015 com seu retorno a Amberg.

     

    Procurou e encontrou.
    Para se deslocar nas suas próprias rodas, precisa de um veículo. Em 2007, o casal descobriu num anúncio: um all-wheel-drive Mercedes-Benz LA 911, fabricado em 1977 em Wörth am Rhein, usado pela Polícia Federal da Fronteira alemã, atualizado por um proprietário subsequente num veículo de expedição.

    Quando Sabine Hoppe e Thomas Rahn encontraram o “short-nose truck” (o nome dado a este tipo de veículo, que esteve disponível na Mercedes-Benz durante mais de 30 anos), ele já tinha um nome: Paula. Paula acompanhou a dupla aventureira através de 54 países nos cinco continentes. No Salar de Uyuni sal na Bolívia, a caravana ofereceu protecção contra uma noite fria e gelada a uma altitude de 3600 metros.

     

    Imagens na mente.
    "Ao longo da sua vida, uma pessoa vê tantas fotos de todo o mundo", diz Thomas Rahn, "que acha que conhece." "Mas queríamos ver essas coisas para nós mesmos", acrescenta Sabine Hoppe. Além de ver as coisas por si, eles tiraram milhares de fotos, que mostram e narram em apresentações públicas. Tal como o seu encontro com uma tropa de babuínos nas Terras Altas da Etiópia.

     

    Um camiões do mundo.
    "Por mais estranho que possa parecer: até mesmo quando era criança, tinha o desejo de fazer uma viagem como esta - num veículo todo terreno da Mercedes", diz Thomas Rahn. No entanto, o facto de que um LA 911 se tornou o companheiro de confiança dos viajantes não foi apenas um sonho de infância tornado realidade: produzido em grande número, Mercedes-Benz " short-nose truck " e "long nose truck" ainda estão em evidência hoje em muitos países e em quase todos os continentes. As hipóteses de arranjar uma peça de substituição ou fazer uma reparação não podia ser melhor. Nos arredores de Tabriz, Paula se depara com colegas que também estão no dia-a-dia. "Um país politicamente controverso, o Irão teve um dos impactos mais profundos sobre nós durante nossas viagens", relata Sabine Hoppe. "Onde quer que fossemos, encontrámos pessoas amigas que nos cumprimentaram: "Bem-vindos ao Irão".

     

    "Gefahr" (Perigo) vem de "Fahren" (Conduzir).
    A palavra alemã "Gefahr" (Perigo) contém o verbo "fahren" (Conduzir). As pessoas nas suas viagens passam sempre por situações críticas e têm que superá-las. Embora os aventureiros da Baviera nunca tenham sido roubados ou atacados, ainda houveram alguns momentos de arrepiar, como o passeio pelo Caminho de la Muerte, a lendária Estrada da Morte até as Terras Altas da Bolívia. Há precipícios até 800 metros de profundidade, enquanto a estrada é pouco mais larga do que um camião em alguns sítios.

     

    Impressões duradouras.
    Quando um país se recompõe como um mosaico, quilometro após quilometro, á frente dos seus olhos, esta experiência é única para o viajante. Especialmente em uma região que está em conflito com a forma da Europa Central de ver o mundo. Como o deserto Kazakh Steppe, que é dominada por um céu infinito em Julho de 2010.

     

    O itinerário.
    Paula, Sabine e Thomas cobriram 120.000 quilómetros juntos entre 2009 e 2015. Thomas Rahn diz: "Esta definitivamente não foi a nossa última grande expedição."

Tags
pub

Notícias Relacionadas