Homepage

  • De wildcard em wildcard até à qualificação
    05 junho 2018
    arrow
  • Lesão sofrida por John John Florence poderá levar ainda mais longe o percurso de sonho do australiano no World Tour 2018…
  • Mikey Wright. Este é um dos nomes a apontar no presente do surf mundial. Vindo de uma família verdadeiramente surfista, o irmão mais novo de Owen w Tyler Wright tem dado que falar no World Tour 2018, mesmo não pertencendo à elite mundial, e, de wildcard em wildcard, está a colocar-se a jeito para conseguir a qualificação para o Tour do próximo ano.

    A temporada começou logo na perfeição para Mikey, com um triunfo no QS6000 de Newcastle, seguido de um 9.ª lugar no QS6000 de Sydney. Resultados que o colocaram no topo do WQS. Atualmente, está no 3.º lugar e também pisca o olha a uma qualificação por este ranking. Mas a verdadeira sensação tem sido causada no Tour, onde é o atual número 12.

    A vitória em Newcastle valeu ao irreverente surfista australiano um wildcard para a etapa inaugural do WCT 2018, na Gold Coast. Mikey não perdeu tempo e mostrou logo a faceta de tomba gigante que já havia mostrado em anos anteriores. Depois de em 2016 e 2017 ter conseguido avançar sempre uma ronda no Quiksilver Pro, desta vez fê-lo em grande, parando só na 4.ª ronda.

    John John Florence foi o primeiro cliente a ir para casa, ainda na ronda de repescagem. Depois, para não se ficar a rir, Medina também caiu perante o wildcard na 3.ª ronda. Só Toledo e Ace Buchan conseguiram travar o ímpeto de Mikey na 4.ª ronda. Um começo de temporada auspicioso, mas que ainda assim não lhe garantiu uma vaga na segunda etapa, em Bells Beach.

    Mikey Wright regressou em Margaret River e avançou mais uma ronda, atirando Ace Buchan para fora do evento. No entanto, o evento acabou por terminar de forma antecipada, prosseguindo esta semana em Uluwatu, na Indonésia, e com o caçula dos Wright ainda em prova. Seguiu-se o Rio de Janeiro, onde voltou a vencer John John na ronda inaugural, perdendo depois para Medina na 3.ª ronda.

    Perante esta caminhada a WSL voltou a convidá-lo para entrar em Bali e Mikey agradeceu da melhor maneira, chegando às meias-finais do evento, onde só foi travado por Michel Bourez. Pelo caminho eliminou Kolohe Andino e ainda o líder mundial Julian Wilson, fazendo com que a lycra amarela mudasse de dono. Resumindo, 12.º lugar bem dentro da luta pela qualificação – ou melhor, pela dupla qualificação.

    Agora, Mikey Wright vai para Uluwatu. E quem tem pela frente na 3.ª ronda? Um adversário que já venceu em duas ocasiões este ano… John John Florence. Contudo, várias notícias apontam para uma lesão grave sofrida pelo bicampeão mundial na Indonésia, que o vai tirar da competição. Dessa forma, Mikey pode estar já garantido na 4.ª ronda do evento e a somar mais uns pontos para a sua luta. É até bem provável que termine o evento no top 10 mundial.

    Situado já perto da fasquia dos 15 mil pontos e bem à frente no ranking de nomes como John John Florence, Kolohe Andino, Adriano de Souza, Jordy Smith ou Frederico Morais, seria justo que o surpreendente australiano voltasse a receber um convite da WSL em J-Bay, até porque a etapa não tem nenhuma marca de surf como main sponspor, o que deixa logo em aberto um dos wildcards – o outro será pelos trials. Até lá veremos se não faz mais estragos por Uluwatu...

     

    Para acompanhar e confirmar live, os dados sobre o estado do mar, pode usufruir da nossa rede de livecams e reports preparada para essa finalidade.

    Visita a nossa Loja Online, encontras tudo o que precisas para elevar o teu nível de surf! 

    Segue o Beachcam.pt no Instagram

Galeria